Destaques Geral

Associação constrói escola com método Waldorf em Passos

Nathália Araújo / Redação

23 de setembro de 2021

A instituição deve receber alunos de um a seis anos e segue o modelo de organização associativa.

PASSOS – A Associação Pedagógica Sempre Viva prevê para fevereiro de 2022 o início do ano letivo na Escola Sempre Viva – Iniciativa Waldorf. Segundo a instituição, as obras para construção da unidade seguem o cronograma e são realizadas por meio de parceria firmada com uma empresa do setor de loteamento. A escola deve receber alunos de um a seis anos e adota o modelo de organização associativa, que não conta com um proprietário.

Fundada em 2019, a associação responsável pela escola não possui fins lucrativos e o intuito é promover uma gestão compartilhada entre pais e professores, mantida por fundos arrecadados por meio de doações. Entre as ações já realizadas pelo grupo em Passos, estão um seminário de educação infantil, que abordou o modelo de pedagogia Waldforf, a construção do Espaço de Brincar no Abrigo Municipal, a confecção e doação de máscaras de proteção para crianças que passam por tratamentos no Hospital Regional do Câncer (HRC) e lives informativas.

De acordo com Bruno De Simone, presidente da associação, a ideia de criar uma escola associativa em Passos surgiu a partir de experiências que teve com seus filhos.

“Minha esposa e eu somos passenses e vivemos em Belo Horizonte alguns anos. Quando matriculamos nossos filhos em uma instituição que segue o modelo Waldorf, mudamos totalmente a nossa forma de encarar a educação, porque a principal proposta é que todos os envolvidos contribuam com o desenvolvimento das crianças e do local. Assim, entendemos que Passos precisa de um espaço que conte com um ensino diferente do tradicional e, com o apoio da sociedade, colocamos este objetivo em prática”, disse.

De Simone também afirma que a proposta de pedagogia a ser seguida na escola tem por objetivo respeitar o tempo de desenvolvimento de cada aluno, trabalhando não somente o aspecto intelectual, mas também o físico.

“A natureza das escolas Waldorf considera as individualidades das crianças, o que é bem diferente do que encontramos no ensino tradicional. Este método se baseia em três pilares: pensar, sentir e fazer. É assim que as crianças alcançam um desenvolvimento integral e aprendem a brincar, fortalecer a imaginação, coordenar o corpo, o equilíbrio e outras habilidades. Vejo que isso é fundamental, principalmente na primeira infância, porque o que se aprende na educação tradicional pode ser visto mais tarde”, afirma o presidente.

Para que o projeto seja concluído, o grupo precisa de R$40 mil. A chave Pix disponível para doações é o e-mail [email protected] e o link na plataforma Vakinha Virtual é www.vakinha.com.br/r/2381385/8392967. A escola terá 7 mil m2 e é fica localizada no Mirante do Vale.

Modelo

O sistema de educação Waldorf foi desenvolvido em 1919 pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner e usa metodologia baseada na visão integral do ser humano, contemplando suas dimensões corporais, psicológicas e espirituais. Nesse modelo, o trabalho de aprendizagem se dá a partir de brincadeiras livres, contato com a natureza, expressões artísticas e atividades que contribuem com o desenvolvimento físico e intelectual. As salas de aula não contam com lousas e carteiras enfileirados e os brinquedos são feitos à mão (muitas vezes pelos próprios alunos). O sistema não utiliza livros didáticos e a alfabetização tem início aos sete anos.

O modelo de educação Waldorf foi indicado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que considera esta pedagogia como uma possibilidade capaz de suprir os desafios da educação. Atualmente, mais de 60 países contam com escolas que abordam este sistema. No Brasil, ele é adotado desde a década de 1950 e tem cerca de 20 mil alunos matriculados.