Destaques Geral

Fortaleza registra 2 mortes de bovinos por raiva e Piumhi tem uma suspeita

5 de agosto de 2022

o material para exame foi coletado dia 1º de agosto e enviado no dia seguinte para análise no Laboratório de Saúde Animal do IMA em Belo Horizonte./ Foto: Divulgação.

PASSOS – A Coordenadoria Regional do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) em Passos registrou duas mortes de bovinos por raiva animal e uma suspeita da doença na região neste mês. Os casos de óbitos foram detectados em duas propriedades rurais em Fortaleza de Minas e a suspeita ocorreu em Piumhi, e o resultado de exames deve sair no início da próxima semana.

As mortes dos animais em Fortaleza ocorreram no dia 31 de julho, mas o material para exame foi coletado dia 1º de agosto e enviado no dia seguinte para análise no Laboratório de Saúde Animal do IMA em Belo Horizonte. O caso mais recente é em Piumhi, e o mesmo procedimento ocorreu na quinta-feira, dia 5, e será encaminhado na próxima segunda-feira.

Para o coordenador do instituto em Passos , Francis Rocha Moreno, no momento, com os três registros, não caracteriza em um surto de raiva animal. A doença é transmitida por morcegos hematófagos infectados que mordem os animais e o vírus, considerado um dos mais letais do mundo, entra na corrente sanguínea e chega ao sistema nervoso. A doença é letal em cerca de 100% dos casos e a morte do animas ocorre entre 5 e 7 dias após os sintomas. Para evitar a raiva, a vacinação é indicada a partir dos três meses de idade.

Outra maneira de proteger o rebanho do ataque de morcegos é promover uma varredura nas propriedades rurais para encontrar os locais onde se alojam durante o dia, como casas velhas abandonadas, cavernas e buracos profundos em rochas, para que o IMA faça a captura.

“O órgão já promoveu palestras e continuará a cumprir os eventos já programados em várias cidades, chamando os pecuaristas para se abastecer de informações relevantes de como não deixar o gado ser atacado pelo morcego”, disse Moreno.

Os proprietários de animais, bovinos e bubalinos, devem comprar a vacina antirrábica em lojas veterinárias e promover a aplicação nas reses. Em caso de primeira vacina, a aplicação deve ser repetida em 30 dias. O período de validade da imunização é de um ano. Em caso de foco, realiza-se a vacinação em massa de seis em seis meses.

Vacinação

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Fortaleza de Minas, Claudia Helena, informou que todo o esquema de vacinação antirrábica no município foi realizado e que, nas proximidades onde foram registrados os casos nos bovinos, houve a profilaxia da população.