Cultura Destaques

Exposição traz 62 imagens de Nossa Senhora feitas em fibra de bananeira

5 de outubro de 2021

Foto: Divulgação.

DELFINÓPOLIS – Uma exposição com 62 imagens de Nossa Senhora vai marcar o evento “Todas as Nossas Senhoras são a mesma Mãe de Deus”, a ser realizado no dia 12 de outubro, na Capela Bom Jesus dos Aflitos, em Delfinópolis. O projeto é do médico e produtor Adauto de Castro Soares, com o apoio das Arteiras da Canastra. As artesãs, que criaram as imagens exclusivas em fibra de bananeira, foram capacitadas pelo Sistema Faemg/Senar/Inaes.

Inspirada pela música de Roberto Carlos “Todas as Nossas Senhoras”, a exposição apresentará uma série de imagens e uma delas, a de Nossa Senhora Aparecida, em tamanho natural. Para a realização do evento, as artesãs trabalharam por três meses. Essa será a primeira exposição temática do grupo.

“Nós não podemos reclamar de nada. Mesmo nesse período tão difícil para todos, produzimos muito. Além das peças exclusivas da exposição atendemos nossos clientes, os lojistas e continuamos as nossas capacitações pelo Sistema Faemg, o que é muito importante para o nosso aperfeiçoamento”, disse Carina de Fátima Souza Melo.

Devoto de Nossa Senhora Aparecida, Adauto Soares promove uma caminhada peregrina todos os anos entre a Capela do Bom Jesus dos Aflitos, construída no Camping e Pousada do Claro, de sua propriedade, e a Igreja de Nossa Senhora das Graças, no bairro Vale da Guarita. A trajetória denominada “Da Aflição à Graça” tem 26 quilômetros. Por conta da pandemia, o evento não foi realizado em 2020.

“Se tudo estiver bem, realizaremos a caminhada este ano”, disse.

O trajeto, na Serra da Canastra, é repleto de atrativos naturais para um encontro consigo mesmo, com a fé, e a superação de limites aos amantes de uma boa caminhada. No percurso, que dura entre 6h e 7 horas, o peregrino encontra casebres históricos, cenários bucólicos, mirantes, poços naturais e cachoeiras.

Pela primeira vez, Adauto organiza a exposição “Todas as Nossas Senhoras são a mesma Mãe de Deus”, para aqueles que não podem participar da caminhada. “Os eventos não têm fins lucrativos. São uma demonstração da minha fé, respeito e admiração à Nossa Senhora”. O produtor destaca o talento das artesãs; as imagens serão doadas após a exposição.