Cultura Destaques

Depois de BH e São Paulo, Passos recebe a Exposição ‘Povos Originários’ com lançamento do livro Yawalapíti

23 de setembro de 2021

Passos é a terceira cidade a receber a exposição ‘Povos Originários’, do fotógrafo e indigenista Renato Soares, com direito a palestra do autor e lançamento do livro ‘Yawalapíti’, na Casa da Cultura do município. Será nesta quinta-feira, 23, às 20h.

A mostra fotográfica traz 14 ampliações fineart, de 70 x 100 cm, com imagens do fascinante universo cultural dos povos indígenas brasileiros, feitas por Soares, carmelitano radicado em São Paulo, que há mais de 30 anos trabalha na documentação dos povos originários do país. A exposição é gratuita e estará aberta à visitação até 16 de outubro, no Palácio da Cultura.

De acordo com Adriana Dias e Cesar Tadeu Elias, realizadores do evento, que conta com a parceria das secretarias de Cultura e Patrimônio Histórico e também da de Educação, Passos ganha um presente com a essa exposição e, principalmente com a palestra do fotógrafo indigenista.

“Das coisas que se devem tomar como positivas nesta pandemia, uma delas é a possibilidade de trazer o fotógrafo carmelitano Renato Soares a Passos, uma vez que ele não está nas suas andanças e vivências pelas tribos do Brasil. Ele já expôs na cidade durante o Festival Nacional de Teatro de Passos, na Casa Jorcelino, mas, não se pode deixar de aproveitar este conhecimento rico, por isso, entendemos que seria hora de reabrir o Palácio da Cultura com uma exposição desta magnitude, uma vez que já se pode reunir um número mínimo de pessoas, claro, respeitando todos os protocolos de segurança sanitários”, disse Adriana.

A primeira exposição e lançamento presencial do livro Yawalapíti foi em Belo Horizonte, onde algumas telas continuam expostas no Restaurante Xapuri, e a segunda, foi em São Paulo.

Soares explicou que o povo Yawalapíti, do tronco linguístico aruak, vive na Terra Indígena Xingu, no estado de Mato Grosso, na região conhecida como Alto Xingu. Sobre o livro, o fotógrafo conta que foi publicado no formato 17 x 23 cm, com 144 páginas e capa dura, trazendo 80 fotografias que mostram o cotidiano na aldeia e rituais como o Kuarup, celebração em homenagem a mortos ilustres, além de texto do antropólogo Adelino Mendez.

Yawalapíti é o primeiro livro de arte e fotografia da Coleção Ameríndios do Brasil a ser lançado sobre as etnias indígenas brasileiras e poderá ser adquirido na noite desta quinta-feira, por R$150, com direito a autógrafo, em Passos.

Renato Soares contou que quando, há mais de trinta anos, pisou, pela primeira vez, numa aldeia indígena, sentiu que aquele era seu lugar, que ali estava a sua essência. E não demorou muito para decidir que dedicaria sua vida a registrar todas as etnias brasileiras.

Seu intuito é não só contribuir para o reconhecimento desses povos, mas também ajudá-los financeiramente. Desde então, de todas as imagens comercializadas pela agência que o representa, 1/3 do valor líquido apurado vai para o povo documentado.

Renato enfatiza que o livro ‘Yawalapiti’ é uma homenagem a um grande amigo, o cacique Aritana, falecido em agosto de 2020, vítima de covid-19. É o primeiro de uma coleção que em breve será lançada no Brasil e no mundo, em parceria com a novíssima Editora Afluente.

 

CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA
PELO NOSSO PORTAL DE NOTICIAS
clicfolha.com.br