Cultura Destaques

Arteiras de Delfinópolis fazem curso de capacitação pelo Sistema Faemg/Senar/Inaes

2 de outubro de 2021

Foto: Divulgação.

DELFINÓPOLIS – As Arteiras da Canastra, de Delfinópolis, são as novas integrantes do Programa de Gestão do Artesanato (Progearte) do Sistema Faemg/Senar/Inaes. O programa busca promover a profissionalização de artesãos em Minas, adequando o processo de criação e produção artesanal e maximizando a lucratividade por meio de estratégias de gestão e marketing. Durante dois meses, as artesãs de Delfinópolis vão participar de capacitações e o projeto prevê a realização de uma feira no mês de dezembro.

As artesãs foram capacitadas pelo Sistema e estão em processo de evolução e aperfeiçoamento na produção de peças com a fibra de bananeira. Durante o projeto, vão participar de módulos que abordam o empreendedorismo, gestão financeira, marketing, monitoramento e orientação profissional, marketing digital, associativismo e organização de feira. Os trabalhos começam nesta segunda-feira, 4, com levantamento de dados e informações que vão gerir um diagnóstico do grupo.

“Esse projeto será muito importante para o aperfeiçoamento do nosso trabalho, para o nosso reconhecimento. A expectativa de melhoria, de crescimento, é muito grande. O Sistema é muito importante para nós e somos muito gratas por tudo o que a entidade tem proporcionado às Arteiras da Canastra”, disse Carina Fátima de Souza Melo.

De acordo com a analista da Gerência de Formação Profissional e Promoção Social, Michele Camila de Paula Ferreira, a instituição sabe da importância econômica e social da atividade no estado. “Por esse motivo, estamos fortalecendo os artesãos mineiros através de capacitações voltadas para as temáticas de gestão, marketing, empreendedorismo digital e outros, além de consultorias especializadas no processo de produção”, salientou.

“O Progearte será um grande incentivo para as nossas artesãs. No caso específico das Arteiras da Canastra, acompanhamos o trabalho desde o início, quando trabalhamos a capacitação com foco na cultura local, utilizando o que o município tem em grande quantidade: a fibra de bananeira. Seguimos com o projeto aperfeiçoando a capacitação, para que as artesãs tenham condições de crescer ainda mais”, completou Rogger Miranda Coelho, gerente regional do Sistema Faemg/Senar/Inaes.