Dia a Dia

Só pode ser ficção!

POR LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO

17 de Maio de 2021

Um sujeito que vivia bem com a esposa, casado há pouco tempo, feliz, deixou-se dominar um pouco por ela, que era modista e estilista. Resolveu ela mesma escolher as roupas para o marido usar. Ela era bonita, esbelta e magra. Ele também era magro e ela temia que ele engordasse por conta do bom trato que a vida de um belo casamento passa a propiciar. Como vários homens e mulheres engordam por conta disso, ela comprava para ele roupas bem justas, para mantê-lo elegante e magro. Alguns gramas que engordasse já transpareceriam na roupa. Ela não queria um marido gordo. Ele se dava conta disso, era vaidoso e não queria perder a silhueta que tinha e que foi também o charme para conquistar a esposa.

Após alguns meses, o sujeito começou a ter uma constante dor de cabeça que passou a atormentá-lo profundamente. Sem saber a causa e vendo que tal problema já começava até a prejudicar sua vida matrimonial, tratou de consultar um médico e depois vários médicos que nada encontravam de errado em sua saúde, após muitos exames costumeiros. Nada se descobria e a situação ia ficando cada vez mais grave. O casal não tinha filhos ainda e a vida conjugal começou a definhar, pois, a dor de cabeça prejudicava até a intimidade deles.

Um belo dia, ao consultar um médico especialista em enxaqueca, recomendado por um amigo, o doutor descobre a causa de sua doença. Era uma questão delicada, mas, como médico, deveria, por obrigação, esclarecer o assunto. Foi quando lhe disse: – O senhor tem um problema sério, mas, lhe darei duas notícias sobre seu caso. Uma notícia é a causa do problema e a outra é a solução. A primeira não é nada boa, mas, a segunda é a pior, a ruim.

Posso lhe contar? / – Claro, doutor! Não posso mais viver assim, até meu casamento está ficando comprometido, já está “fazendo água”! / – Bem, a primeira: acontece que seus testículos estão fazendo pressão, comprimindo a base de sua espinha. É a causa da terrível e constante dor de cabeça. Agora, a segunda: a única solução é cirúrgica, seria a castração, a extirpação dos testículos. Acabaria com a dor de cabeça de uma vez por todas. / Levando um choque, um susto, o paciente pergunta: – Mas, doutor, só tem essa solução, é definitiva, o senhor tem certeza? Aí é que meu casamento irá para a cucuia mesmo! / – Você tem que escolher, arriscar a enfrentar a situação com sua esposa ou continuar com a dor de cabeça para sempre. / – Preciso de um tempo para pensar. O senhor mesmo fará a cirurgia? / – Sim, posso fazer e assim que resolver combinaremos tudo. / Poucos dias depois, o sujeito procura o médico, diz que a situação piorou mais ainda, talvez até por conta do emocional.

Resolve fazer a cirurgia e acerta tudo com o médico. Feita a operação, poucos dias após, já está firme e disposto para a vida e o trabalho. A dor de cabeça realmente desapareceu. A situação com a esposa, ele esperava contornar e contar com a compreensão dela. Saindo um dia para passear, sozinho, eis que avista uma loja de roupas para homens e resolve ele mesmo fazer suas escolhas. Se o seu visual já era bom, por conta das preferências da esposa, esperava ficar melhor ainda.

Entra na loja e é atendido por um vendedor, já idoso, que o recebe com muita educação e atenção. Diz ao vendedor que deseja um terno novo, no modelo atual, melhor padrão possível. O vendedor olha para ele, observa seu corpo, seu porte e diz: – Pois não! Tamanho 50. / – Como o senhor adivinhou? / – Experiência de mais de cinquenta anos no ramo! / O terno caiu como uma luva. Daí, pediu uma camisa branca, moderna e de bom tecido. / – Tamanho 4. / – Adivinhou novamente, certinho! / – Muita prática, meu caro! / Experimentada a camisa, deu certo. O freguês pede, então, um par de sapatos, cor preta. / – Número 42, pelo tamanho dos seus pés. / – Acertou de novo, meus cumprimentos! / Experimentou, serviu. Entre outras “coisinhas” mais, ele pede cueca conhecida como tipo “zorba”. / – Número 42 / – Agora, o senhor se enganou, meu número é 40. / – Não me enganei, não! Número 40 ficará muito justa para o senhor. Ficará desconfortável, apertará seus testículos.

Eles comprimirão a base de sua espinha e provocarão uma tremenda dor de cabeça, que o senhor dificilmente descobrirá a causa. Ouvi dizer que vários médicos ainda ignoram isso e já soube de casos de aconselharem a pessoa a extirpar os testículos. Que pena! Um grande equívoco, sem necessidade!

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO, professor de oratória e de técnica vocal para fala e canto em Carmo do Rio Claro/MG, ex-professor do ensino comercial com reg. no MEC, formado no curso normal superior pela Unipac.