Dia a Dia

Provérbio norte-americano

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO

9 de agosto de 2021

“Amigo mesmo é aquele que sabe o pior a teu respeito e assim mesmo continua a gostar de ti.” A Bíblia tem razão: quem encontra um amigo verdadeiro encontra um tesouro (Eclo 6,14). Aliás, a Bíblia tem vários conselhos sobre a amizade. Será bom pensar nesses conselhos da sabedoria bíblica: “Todos se tornam amigos de quem dá” (Pr 19,6). Se não tens o que dar, tens amigos? “Numerosos são os amigos dos ricos” (Pr 14,20). De quantos pobres és amigo? “Se queres um amigo verdadeiro, procura-o na provação” (Eclo 6,7), porque os teus amigos na prosperidade não são amigos teus, são amigos da tua riqueza. “O amigo verdadeiro se torna irmão na desgraça” (Pr 17,7). Você já experimentou esta situação, que não é rara na vida? – Frei Clarêncio Neotti, OFM
Uma simplificada análise do frei sobre o provérbio estadunidense.

Em primeiro lugar, por coincidência, ao abrir a página do Facebook, de um neto de uma prima, de Aparecida, me deparei com a seguinte frase: “ Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade.” Achei interessante a frase postada por Dinho Azevedo, neto de minha prima Maristela, todos lá de minha terra, Aparecida (do Norte), no Vale do Paraíba, Estado de São Paulo. Ela tem relação com o assunto, é claro! Parece resumir os provérbios da Bíblia e citados pelo frei.

É preciso, realmente, no nosso relacionamento social e até familiar ou com demais parentes, saber fazer uma distinção do que é um amigo, um colega ou um conhecido apenas. Comecemos pelo provérbio que diz: “Amigo é aquele que sabe o pior a teu respeito e assim mesmo continua a gostar de ti.” É preciso entender o sentido da frase.

Não significa que tenhamos de continuar gostando de um amigo quando enveredou pelos maus caminhos, pelo caminho do crime, da marginalidade. Podemos sim, ter pena dele, mas, se ele foi um bom amigo até um determinado momento e perdeu a cabeça, passou para uma vida totalmente oposta aos caminhos do bem, não podemos compactuar e nem permanecer na amizade. Poderemos complicar a nossa vida também. Devemos, então, rezar e torcer para que ele caia na realidade e volte para uma vida correta. Agora, não sendo o meu amigo um fora-da-lei, um pervertido, mas, uma pessoa séria e que possa ter até alguns graves defeitos, como agressividade verbal, um destemperamento emocional em determinadas situações, uma falta de educação momentânea e outros alguns defeitos, nada impede que se continue tendo a amizade. É louvável até, agindo com muita perspicácia e inteligência, tentar ajudar o amigo a controlar sua impetuosidade. A Bíblia diz que quem encontra um amigo verdadeiro encontra um tesouro. Verdade, pois, amigos verdadeiros não são muitos e, portanto, é preciso aceitá-los e cultivá-los com amor sincero. É uma dádiva divina.

Aquele que tem o que dar e distribui o que pode, sempre terá amigos, mas, acredito que tenha mais interesseiros que amigos. Se alguém não tem o que oferecer, terá ele amigos? Talvez, mas, poucos e assim mesmo, iguais a ele, sem posses a distribuir. De quantos pobres nós somos verdadeiros amigos? É claro que não podemos generalizar, pois há um grande número de pessoas que se dedica à pobreza. Elas tiram horas de seu tempo livre, que poderia ser usado para lazer, se dedicando a obras sociais e de caridade. São inúmeras as entidades que, mesmo com dificuldades, fazem o melhor que podem para ajudar os mais necessitados. Mas, há também o outro lado da moeda: aqueles que poderiam ajudar, mas, estão preocupados mais com as suas posses, os seus bens materiais e ficam numa cômoda situação de somente aproveitar aquilo tem, única e exclusivamente para si e para os seus. Não podemos também esquecer certas pessoas gananciosas, sem limites, que, exercendo um cargo público, só pensam em tirar vantagens pessoais, pouco se incomodando com os direitos da população.

Diz ainda a Biblia: “O amigo verdadeiro se torna irmão na desgraça.” É aquele que, vendo você numa situação difícil, de quase desespero, ele lhe estende as duas mãos e tenta ajudar a encontrar uma solução. É claro que cada situação apresenta características e dificuldades diferentes, tendo cada uma a sua própria estratégia de solução. Mas, o verdadeiro amigo sempre se fará presente!

O frei ainda pergunta se já enfrentamos tais situações!

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO PROFESSOR DE oratória e de técnica vocal para fala e canto em Carmo do Rio Claro/MG ex-professor do ensino comercial com reg. no MEC formado no Curso Normal Superior pela Unipac. E-mail: [email protected]