Dia a Dia

Pelos Trilhos da História – Parte 2

POR SEBASTIÃO WENCESLAU BORGES

3 de fevereiro de 2021

Inaugurada em 09/03/1913, o seu tráfego de passageiros durou até 1977, quando foi desativada e seus trilhos retirados por volta de 1990. Da Estação de Monte Santo, seguimos viagem com a locomotiva rompendo distância, soltando fagulhas de sua chaminé que penetrava nos vagões, até fazer paradas em duas pequenas Estações de dois vilarejos: “Vicente Carvalhaes” e “Arary”.

Seguindo a viagem, nesse vagão que eu estava, via-se passageiros tentando fazer passar o tempo de vários modos, uns tentando dormir, outros puxando assunto e fazendo novas amizades, uns retiravam de um embornal alguma matula para aplacar a fome, e o povo viajante levava de tudo para comer: bolo, farofa de galinha e carne seca, queijo, rapadura, laranja, litro de água, isso tudo eu observava até a chegada à Estação de

“Itamogi”

Inaugurada em 15/08/1913, desativada para passageiros em 1977. Seu prédio da estação em 2003 foi reformado e transformado no Museu Histórico Municipal. A Mogiana, ao adentrar na cidade, toda a população ouvia seu apito prolongado, passageiros pondo seus rostos de fora das janelas dos vagões, e ao descer, via-se os encontros das pessoas embaladas pela emoção, outros se despediam, entravam, e a viagem segue com destino às Estações de “Tapir” e “Ipoméia” cujas estações foram inauguradas na mesma data, em 07/09/1914. E o trem depois dessas duas paradas, seguia essa minha viagem imaginária, sacolejando passando em cortes de serra, pontes sobre rios até chegar à bonita e grande Estação da cidade de

“São Sebastião do Paraíso”

Que teve seu ramal da Mogiana inaugurado em 07/09/1914. A Estação Ferroviária de Paraíso é hoje um Museu e a Casa da Cultura do município. E na chegada, pessoas reviam familiares, velhos amigos, e ali nasciam muitos amores e muitas esperanças. Passageiros aproveitavam, compravam de vendedores ambulantes na plataforma doces, frutas, vários tipos de quitandas, e o trem partia indo pelos trilhos deslizando para adentrar e fazer paradas nos vilarejos de “Itaguaba” e “Morro do Ferro”, onde pessoas que fizeram amizade, ali desciam, se despediam, outras entravam, e o trem seguia engolindo os trilhos, soltando fumaça e fagulhas até perder as energias e deixando morrer na saudosa Estação de

“Pratápolis”

Inaugurada em 17/08/1919. Desativado o tráfego de passageiros em 1977. No prédio hoje, em bom estado de conservação, funciona o Centro Cultural da cidade. Dali em adiante o trem seguia viagem, fazendo grandes curvas cortando lavouras grandes e brancas de algodão, e o maquinista botava lenha na fornalha, e aquela máquina ia rompendo, engolindo trilhos e sua chaminé soltando nuvens de fumaça, e ritmado no balanço dos vagões, cortava serelepe lindas planícies, e ia com seu apito rouco percorrendo os trilhos sinuosos da estrada de ferro até avistar a Estação de

“Itaú de Minas”

Inaugurada em 21/04/1921. Os trens de passageiros cessaram em 1976, mas Itaú mantém sua estação muito conservada, mantendo a memória preservada com todos os detalhes. E ele chagava, resfolegando, espirrando fumaça para o alto, fagulhando, apitando, passageiros sorrindo com a cabeça de fora do vagão, acenando com a mão para alguém ali à espera. Quando o trem chegava, trazia sempre a esperança na bagagem e de volta a alegria e saudade que ficava entre nós.

Saindo da Estação Itaú, a Mogiana chamada de “Maria Fumaça” segue viagem deixando para trás a fábrica de cimento com sua enorme chaminé, passa pela ponte de ferro sobre o Rio São João, indo rumo à pequena saudosa Estação de Taguaúna, fazendo sua inauguração nesse dia. Ali, o pessoal daquela região se aglomerava na pequena plataforma para conhecer de perto aquele bichão de ferro. E o pessoal descia para fazer um lanche, moleques do lugar oferecendo e vendendo vários tipos de quitandas caseiras em cesta coberta por guardanapos brancos: era o povo vendendo e os passageiros comprando! Dali a viagem seguiu rumo à sua última parada, o fim da linha dos trilhos da Mogiana.

Viva bem o seu presente, aproveite cada momento no seu dia a dia! Afinal, a vida pode ser comparada a um passeio numa viagem de trem! Aproveite cada detalhe, e até quarta-feira com a primeira vez da chegada da Mogiana em nossa cidade de Passos. É o tempo passando e a gente “Memoriando”.