Dia a Dia

E ela se foi: Hilda Mendonça

POR SEBASTIÃO WENCESLAU BORGES

19 de Maio de 2021

Por mais de duas décadas tive a honra e a alegria de conviver com a Hilda Mendonça: meiga, educada, calma, gentil, inteligente, sempre sorrindo e com a “carinha boa”. É com muito pesar que escrevo esse texto sobre a grande amiga Hilda Mendonça, que infelizmente nos deixou semana passada, vítima desse terrível vírus que está atormentando o mundo todo.

De Hilda vou ter sempre só lembranças boas de nossa grande amizade, que já nasceu desde a primeira vez que a vi, quando com o seu amado esposo Vicente entrou em minha Sapataria se apresentando, me presenteando com um de seus inúmeros livros, o “Ceia de Natal” e levando o meu primeiro “Memoriando”.  Dia seguinte, voltou me trazendo numa folha grossa especial um resumo sobre meu livro, e daí nossa amizade continuou.

E os dias foram passando, muita atenção para com minha família, a amizade foi ficando cada vez maior, tanto suas idas em minha casa, como as constantes visitas que eu lhe fazia para ter um pouco do conhecimento desse mundo da escrita. E lá num desses dias me apresentou o Dr. José Levindo Brasileiro, e juntos tomamos a decisão de criar a Associação  dos Escritores de Passos!

Convites foram feitos, e assim começaram nossas alegres e gostosas reuniões em que Hilda cada dia mais foi não só abrindo sua casa, mas também seu coração para nos acolher nas nossas primeiras reuniões. Seu coração era tão grande que acolheu a todos nós:  Adelaide Antunes, Aristeu Inácio, Antonio Lemos, Benedito José, Carlos Valente, Cecilinha de Jesus, Décio Cançado, Efraim de Marcos, Flaviano Teodoro, os irmãos Magela e Yara Oliveira, Regina Piotto, João Rosa, Dr. José Levindo, as irmãs Lyara e Layla, José Carlos Lemos, Jesuina Faria, Rubens Soares, Rui Câmara, Samantha Mimar, Silcéia Nascimento, Umberto Umbelino, Maria de Morais e Ulisses,  Léa Bougleaux, Silvia Helena,  José Geraldo, eu, e outros que vez ou outra sempre nos deram o prazer de uma visita. Além das reuniões, todos nós tivemos a oportunidade de conviver em muitas ocasiões, como palestras, homenagens, feiras literárias, lançamentos de livros e de nossas Antologias…

Hilda: hoje cada um de nós da nossa Associação de Escritores de Passos e Região está com o coração partido. Nos solidarizamos junto a seus familiares e destacamos que entre nós ficou o exemplo dessa guerreira que foi Você. O que nos conforta é ver o quanto Você é amada, querida e reconhecida.

Naquela noite que recebi a triste notícia, olhei para o céu e com lágrimas contemplei uma nova e linda estrela, e nela vi todo seu brilho e todo seu amor que Você deixou aqui na terra por nós, seus companheiros da nossa Associação de Escritores, sabendo que quando passar essa terrível pandemia, e voltarmos com nossas reuniões, Você, de onde estiver, estará vendo e apreciando nossos gostosos bate-papos, e o nosso gostoso cafezinho nos finais de nossas reuniões.

Como foi difícil escrever esse texto com o pensamento em Você, conduzindo nossas reuniões com sua calma e sabedoria, orientando a resolver os problemas que surgiam com seu sorriso repleto de amor por nós. Mas com o pensamento positivo que sempre foi sua meta de crescimento da nossa Associação Cultural de Escritores e Cia de Passos e Região, mesmo sem a sua grande liderança, a nossa Associação continuará essa caminhada, nesta estrada, com o pensamento positivo em sua memória, e com ajuda dos demais colegas vamos continuar a luta da nossa Associação, conforme era seu desejo:  ela se tornar uma Academia Passense de Letras. E vamos realizar esse seu desejo!

Só ficaram boas recordações de tudo que todos nós, amigos escritores, passamos juntos. De tudo que você nos ensinou, da sua missão, e do seu legado. Por aqui ficamos tristes demais ao vê-la partir. Mas sabemos que você se encantou, agora de outra forma, como também encantou multidões.

Enfim, da mesma forma, estamos certos que aí onde Você está agora, sorrisos surgiram ao vê-la chegar! Olhe por nós! Descanse em paz!  Gratidão e saudade eterna!