Dia a Dia

Dia do soldado

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO

6 de setembro de 2021

Texto atribuído ao ex-presidente do Estados Unidos da América do Norte, Barak Obama, exalta os soldados durante a cerimônia do Dia do Veterano no Memorial Day. O texto foi dedicado às pessoas que perguntam para que serve o soldado, o militar, o motivo de sua existência.

Todos nós sabemos que eles existem há milênios de anos, nos antigos impérios, dinastias, reinados e mesmo nas tribos primitivas, considerados guerreiros.

A finalidade de sua existência, há tempos e hoje também, é manter a ordem no país e defendê-lo contra os inimigos internos e externos.

No Brasil, as polícias militares são forças auxiliares e são reserva das FFAA. Assim, existem os soldados nas polícias conhecidas como militares e os soldados das FFAA. Elas se organizam por disciplina e por hierarquia. São várias graduações desde a mais baixa categoria até a mais alta patente, que são os comandantes em vários níveis. Se a lei existe para a sociedade, para eles também ela existe e ainda há regulamentação de suas atividades, sua legislação própria de conduta de seus membros.

No caso das forças militares de guerra, as chamadas FFAA, elas existem nos mesmos moldes, disciplina e hierarquia, só que com funções diferentes das polícias militarizadas.

Em todos os lugares em que atua o ser humano, sempre haverá os bons e os maus, portanto, nos meios militares também não será diferente. Todavia, acredito que seja uma minoria e sempre que um militar não cumpra com o seu dever, com o seu papel, transgrida ou mesmo se corrompa, a punição existe e a pena será conforme a gravidade do caso.

O ideal seria que o ser humano não precisasse de policiamento e nem de militares. Isso, todavia, é uma utopia. Os homens não são totalmente iguais, as cabeças, os defeitos humanos, enfim, uma série de contradições que dominam os homens, faz com que as perturbações pessoais e sociais existam.

Vejamos, então, as razões expostas pelo ex-presidente Barak Obama e conclamando sobre a necessidade da existência do soldado. “… É graças aos soldados, e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião que desejamos. É graças aos soldados, e não aos jornalistas, que temos liberdade de imprensa. É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos falar em público. É graças aos soldados, e não aos professores, que existe liberdade de ensino. É graças aos soldados, e não aos advogados, que existe o direito a um julgamento justo. É graças aos soldados, e não aos políticos, que podemos votar…”

Sem entrar no mérito do pensamento do ex-presidente estadunidense, o texto, na verdade tem um bom valor para a nossa reflexão. Quando somos vítimas de alguma situação desagradável e que coloca em risco a nossa integridade física, não é para o padre, o pastor, ou outros citados no texto, que nós apelamos. O primeiro impulso e atitude é chamar o policial militar. Em situação de conflitos que coloquem em risco a segurança interna do país ou contra agressões externas, o primeiro apelo é para as forças militares do Exército Brasileiro, Força Aérea Brasileira e Marinha do Brasil

Escolher um dia no calendário anual para celebrar o Dia do Soldado foi uma ideia correta e patriótica. Por soldado devemos entender desde a mais baixa categoria ou patente até a mais alta delas. Já ouvi general, a mais alta patente do Exército Brasileiro, dizendo em alto e bom tom: “ – Antes de tudo, eu sou um soldado a serviço da pátria.” E disse com segurança e orgulho. O que temos de pensar e entender é que o militar é um ser humano como todos nós. Estão sujeitos às emoções, às tentações do cargo, às doenças e vivem correndo riscos constantes com relação à sua vida. Não são tão perfeitos, como nós também não somos. Se eles têm imperfeições, nós também as temos.

Com relação ao envolvimento dos soldados em assuntos da pátria, já dissemos que as forças militares têm como obrigação, defender o cidadão de bem, defender o país contra inimigos internos, externos e as leis. Portanto, a formação do soldado precisa ser rígida, patriótica, segura, de maneira que seja moldado o seu caráter militar para o bem de todos, inclusive para o bem de seus próprios familiares. Todos eles merecem nosso respeito e admiração.

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO, professor de oratória e de técnica vocal para fala e canto em Carmo do Rio Claro/MG, ex-professor do ensino comercial com reg. no MEC, formado no curso normal superior pela Unipac. E-mail: [email protected]