Dia a Dia

A palavra

DÉCIO MARTINS CANÇADO

10 de agosto de 2021

O ser humano se comunica através da escrita, dos gestos, do silêncio e, em especial, da palavra oral, que foi, desde a antiguidade, o principal meio de transmissão do conhecimento, em especial, dos acontecimentos bíblicos, que passaram de geração em geração, até o advento da escrita.

O poder da palavra é enorme. Dizem que uma imagem vale muito mais e, em certos casos, isso acontece, mas não se pode esquecer que quando uma palavra sai de nossa boca ela é valiosa. Assim, por menor e insignificante que seja, pode causar um grande dano ou ser muito benéfica, dependendo de quais são as circunstâncias.

A força das palavras é tanta que não são necessárias muitas delas para causar uma profunda alegria ou uma tristeza. Muitas vezes, basta uma frase para validar uma emoção que estamos sentindo, ou uma frase curta que ataque nosso ponto mais fraco. Elas afetam nossas vidas; por isso, precisamos aprender a ter muito cuidado com elas.

Nossas palavras têm muito poder. No Novo Testamento encontramos: “Mas as coisas que saem da boca, vêm do coração, e são essas que tornam o homem impuro. Pois do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias”. Mt 15:18-19

Se você não tem nada de bom para falar, então fique quieto, silencie. O silêncio, muitas vezes, é o som mais agradável que se pode ouvir.

Um dos maiores, e mais impressionantes, poder que a maioria de nós tem é a palavra. Ela pode levantar ou derrubar, agradar ou desagradar, emocionar ou irritar, trazer para perto ou afastar.

Pode ser ‘mel’ ou ‘fel’, tanto para quem ouve como para quem fala. Num momento, ela exprime toda uma paixão, todo um amor, ternura, admiração, respeito, e num outro, toda a raiva, rancor, ressentimento ou inveja.

A palavra pode estar respaldada na verdade ou escondê-la. Mas isso não é difícil de perceber por aquele que tem uma consciência maior de si mesmo e, portanto, do outro. Simplesmente porque a palavra nunca vem sozinha.

Ela não é independente. Está sempre atrelada ao tom da voz, à emoção colocada, à respiração, ao ritmo em que é dita, ao olhar, aos gestos… E quando ela é falada em sintonia com tudo isso, vem carregada de um poder muito grande, tanto para o bem quanto para o mal. É uma forma de energia fortíssima!

No entanto, algumas pessoas ainda se escondem atrás das palavras e, muitas vezes, enganam a si mesmas e aos outros. São pessoas que se conhecem mal, tornando-se presas fáceis delas próprias e do outro.

O autoconhecimento tem a ver com olhar para dentro, com o silêncio, com a coragem de lidar com as emoções. É uma conquista!

E por que se faz tanto uso da palavra para apontar as falhas e tão pouco para enaltecer as qualidades? Quantas vezes você acha que a pessoa está bonita, mas fica só no seu pensamento? Outras vezes alguém se mostra inteligente ou tem uma atitude digna de um elogio, você sabe disso e, mais uma vez, fica apenas no seu pensamento?

Eu tenho por hábito elogiar sempre quem acredito que deva ser elogiado, ou seja, não gasto minhas palavras em algo apenas para agradar. Se encontro alguém, homem ou mulher e, a meu ver, está bonito ou teve uma atitude bacana, procuro sempre elogiar. Não guardo para mim, divido.

Existe coisa melhor do que receber um elogio verdadeiro? É um afago no coração, tanto de quem recebe quanto de quem elogia, porque o retorno é imediato através do sorriso, do olhar, da alegria. Se achou bonito ou bonita, diga: Você está bonita… ou, está lindo!!! Nada de dizer: Como você está bem… Não economize palavras nessas horas.
Enfim, use a palavra da melhor forma possível para fazer a sua vida e a de quem passa pelo seu caminho, mais alegre, divertida e feliz.