Quinta Coluna

Express Press

CESAR TADEU

23 de junho de 2021

Plano Diretor para o quê, mesmo?!?

Pelos lados da refrigerada Câ-mara Municipal de Passos a hora é de debater o projeto do novo Plano Diretor – que virá a ser um calhamaço de leis que deveriam nortear o planejamento, a ocupa-ção espacial e o crescimento da cidade-sede do município de Passos nos próximos anos.

De modos que para moldar uma legislação que é de interesse de toda a comunidade, o Poder Legislativo instalado na refrige-rada Câmara convida a popula-ção a participar da discussão do projeto.

O projeto original, em sua ín-tegra, enviado pelo Executivo, já está disponibilizado no site da Câmara (camarapassos.mg.gov. br) além de um e-mail disponível para o todo e qualquer cidadão passense ou que na Ardeia vive e trabalha (ou não: só vive!) enviar sugestões. Ponto

***
Blá, blá, blá…

…blá, blá, blá, blá acaba aconte-cendo o seguinte: os tais planos diretores (o projeto que está em andamento não é o primeiro de-les para Passos), na tentativa de serem uma, digamos, bula – ou um manual de instruções de co-mo bem usar a cidade para dela bem usufluir -, acabam sendo o que são – uma quase nulidade…
***
…Mas uma quase nulidade sem-pre imbuida das melhores inten-ções (as mesmas melhores inten-ções que, dizem, pavimentam os caminhos que levam ao inferno). Recheada de leis pouco prováveis de serem observadas enquanto leis constantes do Plano Diretor.
***
Que, diga-se, de diretor tem bem pouca coisa, até porque o que está ali escrito (para ser pou-co observado na prática do dia a dia na cidade) diz mais respeito à cidade que temos do que uma direção para a cidade que pode-ríamos ter!
E quando aponta para alguma direção, falha, derrapa, erra gros-seiramente!

***
Mal neccessário. Mau necessário

Ora, direis, mas então fazer o quê, já que até por questões de leis federais e Constituição brasi-lis o tal Plano Diretor é uma exi-gência a ser cumprida?!?
***
Talvez aí resida o problema: em querer elaborar uma peça burocrática a pretensamente ser seguida, cumprida e praticada – além de legalmente obrigatória – quem nunca comeu melado (que é a regra e nunca a exceção dos nobres edis – os passenses e a i-mensa maioria da edilidade em cargo na pátria tupiniquim) quando tem que se servir da igua-ria, se lambuza.

E dá-lhe verborragias mil em tais planos diretores, cruizcredo!

***
Sim, chutado o balde, então o que fazer, bugrada?!?
Hmmm, olhai para a Histó-ria, incautas autoridades (todas elas, em grau, número e gênero).

Olhai para o passado dessa Ardeia que, olha que interes-sante, nos tempos em que ela (a Ardeia) não tinha o chamado tal Plano Diretor era uma cidade bem, bem mais urbanizada; onde seus pacatos cidadãos a respeita-vam enquanto uma cidade em progresso; onde os mencionados cidadãos, ao terem que de alguma forma, praticarem alguma inter-venção no urbano da cidade a fa-ziam sempre com muito respei-to à cidade (que é o que geral-mente norteia os mudernos pla-nos diretores)…

***
Caderninho amarelo

Eram tempos em que, como já escrito, não havia um calha-maço de normas, regras e legisla-ções quetais, mas havia um li-vrinho – assim mesmo, um livri-nho – do tamanho de uma daque-las antigas cadernetas de padaria (o “livrinho” é dos tempos anti-gos, cambada!) onde constava co-mo se proceder (no que toca a qualquer tipo de intervenção ur-bana, pelo menos à época) na ci-dade-sede do município.

Isto posto num despreten-sioso “Código de Posturas do Município de Passos”.

Este era o nome do que, hoje, chamam de “Plano Diretor”. E, pasmem, funcionava!

***
O Código de Posturas diz que…

Só para ficar numa prática em prática atual e diariamente na ci-dade de Passos, coincidentemen-te não-praticada antes de inven-tarem por aqui os tais planos di-retores: as calçadas! Ou passeios.

***
Convenhamos: nada mais bá-sico, mais comum a todos e à toda a cidade do que uma calçada, né não?!?

Então, maus munícipes: nos tempos em que não tínhamos um Plano Diretor para nos impor di-reitos e deveres, regras e tratados em relação ao bom uso e às boas práticas urbanas em Passos, tam-bém não tínhamos por aqui as, hoje, quase onipresentes calçadas com desníveis – todos os tipos de desníveis possíveis – que ajudam a inviabilizar, também por exem-plo, a mobilidade de uma criança em seus primeiros passos; ou um idoso; ou um portador de neces-sidades locomotoras especiais; ou a mobilidade de qualquer ci-dadão em trânsito por essas cal-çadas.
***
Porque as calçadas in Passos são hoje – com todas as leis dos planos diretores: os passados, o atual e, não será diferente, o pró-ximo – impraticáveis.

***
Se fossem só as calçadas!..

A coisa aí é pra lá de simples de ser observada.

E praticada, mamaúbas: quando uma prefeitura, a daqui, ou a de qualquer outra cidade no mundo, define o traçado de uma rua, ela o faz usando para isso um artifício chamado meio-fio; ou sarjeta; ou guia ou como queiram chamar tal equipamento urbano.
***
Que tem também uma outra função: são esses meio-fios que definem, além do que é espaço da rua e o que é espaço da quadra -ou do quarteirão – definem ainda a altura da calçada a ser seguida. E ponto.

Sem maiores discussões e muito menos, sem precisar invo-car aos infratores as regras – ou códigos de postura – em relação ao estabelecido pela guia. Ou me-io-fio. Ou sarjeta.
***
Reforçando: é ela quem defi-ne a calçada.

Se o terreno do cidadão é mais alto, ou mais baixo, em re-lação ao meio-fio, o problema é do cidadão. A partir do limite da largura da calçada e o terreno do cidadão.

O que, de jeito nenhum, é o que a gente percebe na maravi-lhosa urbanização praticada em Passos.
***
E isto diz respeito também as tais rampas de acessibilidade. Que na maioria delas construídas na cidade, acabam sendo um con-vite ao passeante mais distraído a escorregar, levar um tombo, cair …e em certos casos, se tornar um futuro cadeirante.
***
Mas tudo feito sempre nas melhores intenções, de acordo com as mudernas práticas do Ur-banismo, atendendo sempre ao que rege …um Plano Diretor!
***
Porque a fórmula é óbvia: sejamos mais razoáveis, menos burocratas e, se não for impos-sível, menos caipiras, caipirada! E respeitemos a cidade que a gen-te tem, simples assim!

Afinal, uma senhora de 163 anos de usos não muito bons. E abusos mil.

Não há Plano Diretor que dê jeito nisso!
***

 

O Lote 352 veio da parte de Cinthia Stocco, direto de londres/inglaterra, onde ela mora: uma Nota de 20 Libras, que hontem estava cotada a R$ 140,60.
O 38º e último Brinde foi uma Massagem Modeladora, Doada por Rute Tiago Leandro.
………………………………………………………………………………………………………………………………
foi por aí afora a segunda edição do “leilao em prol dos Pequenos Cantores de Passos e da ADESC”, que movimentou o whatsapp na ardeia, desde o dia 7 de junho e foi encerrado no domingo 20. Felipe terra, um dos organizadores do Leilão manda dizer que “A alegria dessas duas associações é de transbordar, por dois motivos: primeiro porque é bom saber que a cidade, representada por vocês que doaram, arremataram e se envolveram, confiam e endossam o trabalho que realizamos.Em segundo lugar porque conseguiremos mais uma sobrevida nos projetos. graças a vocês! O leilão trouxe um respiro para mais uns meses de despesas fixas – Aluguel, luz, água, professores, projetos, manutenções …enfim.”
………………………………………………………………………………………………………………………………
O total arrecadado foi de R$ 31.350,00. foram R$1.465,00 em despesas, Com saldo líquido de R$29.885,00. Ainda falta receber e entregar 38% dos brindes arrematados.
Então, por enquanto a arrecadação real do “II “leilao em prol dos Pequenos Cantores de Passos e da ADESC” é de R$ 19.210,00.


Aos 80 anos de idade, Marco Antonio contou que seu sonho era ser artista. Devido aos percalços da vida ele acabou ficando 60 anos fora dos palcos. Sua apresentação no “Canta Comigo” fala o resto todo dessa história. Imperdível!
Nas redes sociais, pelo YouTube https://www.youtube.com/watch?v=aKYuiS8E4YA“Instagram“https:/ Ou no www.instagram.com/marcolara1940ou ainda no Facebook, no https://www.facebook.com/marcoantonio.lara.758 Você não vai conter a sua emoção!


A semana agora é de “especial Nova D de coordenados”.
para peças selecionadas da coleção #ultra da Nova D, exclusivas, vendidas separadamente. com 30% OFF em até 6X sem juros.
de hoje até a segunda-feira 28 de junho. Não perca!
na flagship nova d, na avenida da moda. ou no WhatsApp

 

 

 

 

 


Express Press

Como nem só planos diretores fazem o expediente a bordo da invernal, porém refrigerada Câmara de Passos, 20ª reunião ordinária do ano realizada na tarde da segunda-feira 21, teve portaria assinada pelo presidente daquela casa – o vereador Alex Bueno (PSD) -, declarando “luto oficial no âmbito do Poder Legislativo, pelo prazo de três dias”. Em memória das mais de 500 mil vítimas oficiais da Co-vid-19 no Brasil…

…A portaria cita também que, conforme as estatísticas da Pre-feitura de Passos divulgadas na sexta-feira, 18 de junho, “apon-tam que 262 passenses foram vitimados pela Covid-19”.

Membro da Comissão Regio-nal do HRC, o também deputado federal Emidinho Madeira rece-beu em Nova Resende o diretor administrativo da Santa Casa, Daniel Porto Soares; o membro da Irmandade, Maurício Coelho; a equipe de Captação de Recursos do HRC e lideranças da região…

…Em aglomeração light, com todo mundo respeitando os có-digos para estes dias de Covid-19, onde definida a data de mais um importante leilão em prol do Hospital Regional do Câncer de Passos: o Leilão Solidário de Guaxupé e região em prol do HRC. Leião virtual, agendado para acontecer no dia 15 de agos-to, nos domínios de Marquinho Leilões (localizado numa via entre Muzambinho e Juruaia).

A beleza das cores subaquáti cas. A Ponto Bello tem, para pron ta entrega, a coleção Atlantis, da Cerâmica Portinari. Peças no for-mato 20x20cm, bold, nas cores Atlantis GN Lux e BL Lux. E também para pronta entrega a coleção Momento – uma seleção Portinari de marcas renomadas e peças marcantes, traduzidas pela sofisticação e neutralidade dos revestimentos. Disponíveis na Ponto Bello Acabamentos – a primeira butique de pisos e re-vestimentos da região. Na Lavras esquina com Dr Manoel Patti.

A agenda de cursos da semana 21/26 de junho da Regional Pas-sos do Sistema Faemg/Senar/Ina es anota em sua programação de treinamentos a realização de 16 cursos na área da Formação Pro-fissional Rural; mais outros 7 cursos no departamento da Pro-moção Social. Em 19 municípios da área de atuação e abrangência do Escritório Regional do Senar-Passos, o ER-09.

Organizadora da antologia, Je-ane Tertuliano da Silva dá con-ta de que Adriana de Oliveira Dias teve seu primeiro texto poético-erótico selecionado para compor o livro “Dos Anseios do Corpo ao Deleite Luxurioso da Alma”. O livro, que sai dos prelos da União Brasileira de Escritores e editorial Casa de Bonecas terá textos de 25 autores selecionados. A obra será imprensa e terá ver-são e-book.

O passense Selton Mello, mais as atrizes Mariana Ximenes, Le-tícia Sabatella e Bruna Griphao gravaram cenas da novela “Nos Tempos do Imperador”, da Glo-bo. Semana passada, em locações na praia de Abricó, no Rio/RJ, usando pesados trajes de época. Já que “Nos Tempos do Impera-dor” trata do Brasil nos anos 1800 e sua política monárquica…

…Anunciada para o fim de mar-ço do ano passado, a estreia da novela das 18h foi adiada algu-mas vezes por causa da pandemi-a em curso. Agora mesmo a Glo-bo propagandeava que “Nos Tem-pos do Imperador” vai ao ar a par-tir de agosto deste ano.

Sangue Azul para ele, todos os dias! Casual, esporte, esporte fi-no, em roupas, sapatos, bolsas, mochilas, carteiras e acessórios. Para homens com estilo. Na Ave nida da Moda ou via Whatsapp (35/9-9141-3312) #sangueazul homem

Reunião da AMEG com as microrregionais Amnor, Amvap, Amvale, Amapar e Amog , mais a consultoria Pro-Arte – que com-põem o Mutirão Lei Aldir Blanc (a LAB-MG Mutirão) discutiu, além da LAB, o PLP73/2021 – que vem a ser um projeto de lei que institui a Lei Paulo Gustavo de Apoio ao Setor Cultural.

Após a derrubada de vetos do presidente da república pela Câ-mara Federal em projeto que permitiu a ampliação dos prazos para a aplicação dos Recursos da Lei Aldir Blanc em 2021, muni-cípios de todo o país – Passos, in-clusive – começaram a mobiliza-ção para o regramento e a publi-cação de editais para a distribui-ção dos recursos da Lei 10.017 – de quase um ano atrás, 29 de ju-nho de 2020 – que ainda estão nos cofres municipais…

…A princípio tais recursos se-riam transferidos ao Fundo Es-tadual de Cultura e a secretaria de estado redirecionaria para os beneficiários. Com a nova defini-ção garantida pela Lei 14.150/202, os municípios que não utili-zaram os recursos na totalidade – Passos, inclusive – poderão fazê-lo agora neste 2021. É só não querer ser mais realista que o rei… nem dormir de botinas e de-pois, perder os recursos, ficar a ver navios, comer moscas. Como fizeram recentemente ex-gesto-res da Cultura e do Patrimônio Histórico passense.
Acupuntura para reequilibrar o corpo e a mente, nesses tempos de stress por conta de tudo isso aí fora. Acupuntura como trata-mento, massagem como relaxa-mento, com atendimento a do-micílio e com todos os procedi-mentos de segurança, conforme os dias atuais. Pela fisioterapeuta e acupunturista Mayna Elias. Agendamentos pelo 9-9119-8690 ou 9-9946-0881.

Também pelos lados da movi-mentada Associação dos Muni-cípios da Microrregião do Médio Rio Grande – a AMEG, mais o Circuito Turístico Nascentes das Gerais – e da Canastra – rolou cur-so on-line abordando a Lei Ro-bin Hood no quesito ICMS Turismo…
…O curso reuniu gestores mu-nicipais de turismo de Alpinó-polis, Araxá, Capetinga, Capitó-lio, Carmo do Rio Claro, Cássia, Claraval, Delfinópolis, Doresó-polis, Fortaleza de Minas, Guapé, Ibiraci, Ilicínea, Itaú, Passos, Pi-menta, Piumhi, Pratápolis, São João Batista do Glória, São José da Barra, São Roque de Minas, SSParaíso, São Tomás de Aquino, Tapira e Vargem Bonita…

…todos focados na realização do processo do ICMS da Lei Robin Hood, Lei 18.030/09, no critério turismo, e em novidades que ve-nham a habilitar o município a garantir o retorno de recursos financeiros a serem investidos no desenvolvimento de atividades turísticas destes municípios que atenderem aos pré-requisitos da Lei Robin Hood/ICMS Turismo. Porque a pandemia vai passar e demanda no setor turístico ha-verá!

Pra já ou para quando a pan-demia passar, outros destinos que não a nossa vizinha Canastra e seu parque nacional, outros ro-teiros gastronômicos, históricos, de lazer que não os nossos aqui na região, outras montanhas, ou-tros mares, via Munditur! Tradi-ção de melhores viagens, grandes destinos, desde 1992 a Munditur te leva para qualquer um deles! Ou a qualquer uma das melhores – ou mais exclusivas – atrações tu-rísticas no planeta Terra. Fale com a equipe Munditur, ela tem seu próximo destino. A Mundi-tur está na Rua Santo Antônio, 79. Por telefone, dial 35/3521-6373. Ou [email protected] com.br Ou @munditurviagens

O conterrâneo Marco Antonio Lara, causou! E bombou nas redes sociais. Marco Antonio foi parar no palco do “Canta Comi-go” – programa exibido na Rede Record e também na Netflix. Ele interpretou a canção “As Rosas Não Falam”, fez os 100 jurados se levantarem e a apresentação acabou virando um vale de lágri-mas – de emoção – a começar pelo apresentador do programa, Ro-drigo Faro…