Colunas Sociais - Região C. R. Claro Destaques

Homenagem póstuma ao Padre Mário feita pela professora Lucia Carielo

Por Nana de Minas

15 de setembro de 2021

No sábado, dia 11 de setembro, foi celebrada a missa de 7° Dia pelo falecimento do Pe. Mário Pio de Faria, na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, presidida pelo Pároco Michel Pires./ Foto: Reprodução.

Homenagens e mais homenagens foram feitas ao sacerdote, profeta e pastor Pe. Mário. Ele deixa um grande legado para a comunidade carmelitana de religiosidade e na construção da educação da cidade.

Entre as centenas de homenagens, a crônica publicada pela professora Lucia Carielo, que segue abaixo, sintetizou todos os bons sentimentos e conhecimentos do nobre Pe. Mário.

“No dia 15/10/1966, Padre Mário chegava ao Carmo. Ele estava vindo de Guaxupé, cidade onde morou por onze anos, para assumir a Paróquia do Carmo. Os professores, Jairo Reis e Lourenço Antônio Figueiredo Pereira, que faziam parte da caravana que o acompanhava, apresentaram- lhe a cidade. A multidão que o esperava, com as mesmas mãos que enxugava as lágrimas derramadas pela partida do Padre Marcelo, seu antecessor, acenava acolhendo o novo Pároco.

Desse dia ele nunca se esqueceu. Ficaram as primeiras impressões, as lembranças da calorosa acolhida, do coração batendo forte e do carinho do povo carmelitano. À sua frente, rostos desconhecidos, olhares curiosos, a cidade que o encantou à primeira vista, e aquela serra majestosa a desejar-lhe boas-vindas. Carinhosamente ela o acolheu, deu-lhe água da Jacuba e daqui ele nunca mais saiu.

“Bendito o que vem em nome do Senhor!” Padre Mário era o enviado e trazia em sua bagagem muita sabedoria, determinação e vontade de servir. O rebanho que lhe fora confiado encontrou nele a figura do pai que ama e orienta, do irmão compassivo, do cidadão atuante, do líder, do educador e do amigo.

Padre Mário não só falou ao povo, mas em nome do povo. Colocou-se na pessoa do doente, do idoso, da criança, do necessitado e dos indefesos. Reivindicou por eles, riu e chorou com eles.

Observador atento da alma humana conhecia-lhe as fragilidades e sabia ouvir os seus anseios. Suas palavras oportunas, de aprovação ou de reprovação, ajudaram a muitos. Ele também falou aos que não queriam ouvir e os incomodou.

Como missionário itinerante levou o evangelho às comunidades rurais, deste vasto município, que esperavam por suas mensagens de fé e de esperança.

Capaz de dialogar e de aceitar mudanças, Padre Mário buscou respostas para os desafios que a Igreja enfrentaria no séc. XXI. Em suas ações evangelizadoras, mostrou-se nem tão conservador, nem tão progressista, mas moderado. Falava com firmeza sobre os mais diversos assuntos.

No Carmo, Padre Mário aprofundou e viveu sua vocação. Cumpriu com fidelidade a missão que lhe fora confiada. Através de uma enquete realizada pelo jornal Expresso Carmelitano, no ano 2000, o povo o elegeu Carmelitano do Século, na área da Religião.

Líder muito respeitado e estimado em nossa cidade, Padre Mário sempre esteve comprometido com o trabalho social e com o desenvolvimento do Carmo. Ficaram as marcas dos seus passos por onde passou. Atuou em inúmeras instituições, na educação, na cultura e na comunicação.

Padre Mário era um homem de muito saber e de muita vivência. Sacerdote ardoroso, educador proficiente, e atuante cidadão carmelitano, Padre Mário tinha um incondicional amor pelo Carmo. Ele fez parte de nossas vidas e da história da cidade.

Neste momento de sua partida, em que nossos corações transbordam de emoção, o povo carmelitano junta as suas vozes para dizer-lhe com profunda gratidão: Obrigado, Padre Mário, pelo bem que nos fez.
Carmo do Rio Claro, 05 de setembro de 2021”