C. R. Claro

Agricultor familiar resiste à pandemia

20 de Maio de 2020

Foto: Reprodução

A Engenheira Agrônoma e Coordenadora Técnica Regional da EMATER em Passos, Alice Soares, fala sobre o momento atual dos agricultores familiares:

A realidade hoje nos leva a repensar consumo, modos de vida e nos obriga a reinventar. Essa é a oportunidade que os agricultores familiares, cooperados da COORGÂNICA, uma cooperativa que abrange sete municípios da nossa região (Claraval, Delfinópolis, Cássia, Pratápolis, Capetinga, Passos e Capitólio), encontraram para continuar a ofertar seus produtos. Com a assistência técnica da EMATER, eles se organizaram e passaram a vender os alimentos orgânicos de porta em porta. Segundo relatos deles, a demanda por produtos orgânicos aumentou consideravelmente e a entrega de cestas acompanhou esse crescimento.

Eu, como engenheira agrônoma da EMATER MG, espero que essa tendência se estabeleça e que os consumidores optem sempre por comprar dos produtores locais e privilegiar aqueles que têm os alimentos com o selo de ORGÂNICOS DO BRASIL.

Aplauso e Abuso

A barreira sanitária instalada na entrada da cidade recebeu muitos elogios nesse último fim de semana. Um número razoável de automóveis foi barrado sem conseguir explicar algo realmente necessário que iria fazer em CRClaro. Apesar da eficiência dos fiscais de postura em convidar gentilmente alguns visitantes a se retirarem da cidade, uma cena arbitrária e lamentável foi verificada. Uma pessoa de um município vizinho, depois de ter sua entrada barrada, foi apanhada por amigos no trevo para participar de uma festinha no sábado à noite. Infelizmente, ainda temos que conviver com cenas assim em plena pandemia. Que o vírus não veja tamanho abuso e resolva se
vingar desses irresponsáveis!

***

Foto: Reprodução

Alice palestrando dias destes em Franca: “Produção Orgânica de Alimentos”.

Noventa anos de Conceição Carvalho Noronha:Conceição Carvalho Noronha, no dia 14 de maio, completou seus bem vividos 90 anos. Adjetivos não faltam para a vanguarda, sabedoria e sempre filantrópica! Aliás, ela foi a primeira diretora do IEC – Instituto de Educação e Cultura.Como boa anfitriã, tendo a arte como única, deve receber, após a pandemia, para “Petit Comité”, seus bons e poucos amigos.

Bebê a Bordo: A vovó mais coruja do pedaço, Monica Maria Santana Cesar, está feliz da vida! Também, não é por menos. No dia 15 de maio nasceu, em Ribeirão Preto, sua segunda netinha, Maria Eduarda.

O filho Pedro com a esposa Regina e as herdeiras, Julia e a recém-nascida Maria Eduarda.