Coluna MG

PT afasta vereador

29 de abril de 2021

A direção executiva do Partido dos Trabalhadores de Minas Gerais decidiu afastar Willian Faria do cargo de vereador em Santa Bárbara do Leste, após o parlamentar ter violado o lacre do caixão de um homem que foi a óbito com suspeita de ter contraído novo coronavírus. O procedimento é uma determinação sanitária, estabelecida pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para conter a disseminação da covid-19. Sendo assim, o parlamentar deve responder ao Conselho de Ética do PT, conforme determina o estatuto partidário. (Diário de Caratinga – Caratinga)


O que você também vai ler neste artigo:

  • Mais CPIs contra Governo de Minas
  • Asfalto de Araxá fiscalizado
  • Pará de Minas tem calendário de agronegócio
  • Educação de Uberaba anuncia repasses
  • Região estuda consórcio de aterro
  • Justiça condena rede por assédio

Mais CPIs contra Governo de Minas

O Governo de Minas, que já enfrenta uma CPI na Assembleia para apurar o fura-fila na vacinação, poderá enfrentar outras duas para apurar irregularidades na administração direta e indireta do Estado. A deputada Andréia de Jesus (Psol) defendeu a instalação de CPI com o objetivo de averiguar problemas na nova gestão do sistema socioeducativo do Estado. O deputado Professor Cleiton (PSB) propôs a criação de CPI que investigue a Cemig, especialmente por denúncias de contratação de empresas sem licitação. (Rede Sindijori)

Asfalto de Araxá fiscalizado

Com o intuito de garantir a qualidade dos serviços de pavimentação e evitar o desperdício de recursos públicos, a Prefeitura Municipal de Araxá vai contratar, pela primeira vez na história, uma empresa para fiscalizar o asfalto da cidade, por meio de ensaios de laboratório e controle tecnológico de solos, asfalto, concreto e sondagem à percussão. O atual prefeito, Robson Magela, determinou a abertura de um processo licitatório para contratação do serviço, o qual vai certificar toda a execução do trabalho. (O Planalto – Araxá)

Pará de Minas tem calendário de agronegócio

A Prefeitura Municipal de Pará de Minas, por meio da Secretaria de Agronegócio, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, anunciou a criação de um calendário para fomento do agronegócio local. Segundo a pasta responsável, a iniciativa conta com o apoio de empresas parceiras, e é importante para impulsionar as atividades do setor, o qual recebe grande destaque por ser responsável pela maior parte do Produto Interno Bruto (PIB) arrecadado pelo município. (Diário Pará de Minas – Pará de Minas)

Educação de Uberaba anuncia repasses

A Secretaria Municipal de Educação de Uberaba anunciou que deve realizar um repasse financeiro, até o fim da semana, para as 25 Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que possuem parceria com o Executivo e atendem quase dois mil alunos da educação infantil e especial. O valor foi adquirido por meio de recursos federais que chegam a R$10.014.141,07 neste ano e os pagamentos devem ser divididos em quatro parcelas, as quais serão pagas nos meses de abril, junho, agosto e outubro. (Jornal da Manhã – Uberaba)

Região estuda consórcio de aterro

A formação de consórcio para implantação de Aterro Sanitário Regional foi um dos assuntos debatidos na Assembleia de prefeitos do Alto Paranaíba. Em todo o País, e também no Alto Paranaíba, as cidades de pequeno e médio porte têm inúmeras dificuldades para cumprir as metas da Política Nacional de Resíduos Sólidos previstas para este ano de 2021. A complexidade técnica da legislação e os altos custos de implantação do sistema são os grandes entraves para os prefeitos. Neste sentido, a Amapar e o Cispar buscam viabilizar alternativas para que as cidades do Alto Paranaíba consigam atender as exigências legais. (Folha Patense – Patos de Minas)

Justiça condena rede por assédio

A juíza Carla Cristina de Paula Gomes, da 3ª Vara do Trabalho de Governador Valadares, condenou as Lojas Americanas no município a pagarem indenização de R$ 400 mil por prática de assédio moral contra funcionários. A ação foi movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e o valor, conforme a sentença, deverá ser depositado em juízo para ser revertido em benefício da comunidade local.Em sua sentença, a juíza afirmou que a rede varejista “impunha a seus empregados, através dos gerentes, a exposição a situações humilhantes, constrangedoras e vexatórias, de forma a desestabilizá-los durante o exercício de suas funções”. (Diário do Rio Doce – Governador Valadares)

Rede de Notícias do Sindijori MG