Coluna MG

Escolas retomam atividades

16 de junho de 2021

Uso de máscara facial, álcool em gel e distanciamento entre as carteiras, estes critérios integram os protocolos de segurança para a volta às aulas presenciais em Caratinga, o que ocorreu nesta semana. O retorno às atividades presenciais em Regime de Ensino Híbrido se dá realizado por meio de revezamento entre os alunos, nas escolas da rede pública e privada. Estão permitidas as aulas para a Educação Básica (Ensino Fundamental – Anos Iniciais/Anos Finais e Ensino Médio) e as instituições que ofertam cursos técnicos profissionalizantes, preparatórios, pré-vestibulares, escolas de idioma e demais instituições. (Diário de Caratinga)

Retorno da força-tarefa

Em continuidade ao alinhamento das ações de enfrentamento à covid-19 junto ao Governo de Minas, Mauro Chaves, atual vice-prefeito de Araxá, participou de uma audiência com o deputado Bosco e o assessor especial da Secretaria de Estado de Saúde, Ibiraty Martins, em Belo Horizonte. O encontro deliberou o retorno da força-tarefa da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) na próxima semana, com o objetivo de apresentar as ações que visam otimizar os processos e aprimorar o atendimento à população. Em outra audiência realizada na capital mineira, Mauro e Bosco estiveram com o chefe da Polícia Civil, Joaquim Francisco Neto e Silva, para a apresentação do Plano Integrado de Segurança Pública, o qual também foi aprovado. (O Planalto)

Comissões dão aval à Guarda Civil

A criação da Guarda Municipal em Ipatinga teve mais um progresso, já que as Comissões de Urbanismo, Transporte, Trânsito e Meio Ambiente e de Finanças, Orçamento e Tomada de Contas da Câmara se manifestaram a favor do Projeto de Lei nº 93/2021, que institui a criação da força de segurança na cidade. As Comissões de Legislação, Justiça e Redação e de Direitos Humanos, Cidadania e Defesa dos Portadores de Necessidades Especiais já haviam aprovado a proposta. Para mais, os vereadores seguiram a recomendação técnica do Jurídico da Câmara e votaram pela legalidade da matéria. A proposta segue agora para a votação em dois turnos pelo Plenário, ainda com data a ser agendada. (Diário do Aço – Ipatinga)

JF avança para faixa laranja

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) informou que o município avançou para a faixa laranja do programa Juiz de Fora pela Vida. Conforme a nota divulgada, a cidade encontra-se com pontuação 17 (médio risco para contrair a covid-19), no conjunto de indicadores propostos pelo Guia Orientador publicado pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Na semana passada, a pontuação do município foi de 23 pontos, considerada de alto risco (faixa vermelha). Os resultados de tais indicadores consideram a capacidade de atendimento do município e o cenário epidemiológico da cidade. (Tribuna de Minas – Juiz de Fora)

Ampliação da estrutura do HUCF

O Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), vinculado à Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), vai passar por novos serviços de reforma e ampliação da sua estrutura física, visando a melhoria do atendimento e mais conforto aos usuários e servidores, assim como vem ocorrendo em seu parque tecnológico, com a aquisição de equipamentos de última geração. As melhorias serão implementadas com recursos de custeio, no valor de R$ 1.897.047,11, assegurados pelo Governo de Minas Gerais. Serão contempladas as diversas clínicas e setores da unidade hospitalar. (Gazeta Norte Mineira – Montes Claros)

Dificuldade para emissão de documentos

O Praça Shopping, em Uberaba, está com a energia cortada e, no local, funcionam órgãos responsáveis pela emissão de documentos, sendo o Cartório do 1º Ofício de Registro Civil de pessoas naturais, responsável pela expedição de certidões de nascimento, óbito e casamento; e a Unidade de Atendimento Integrado (Uai) do Estado de Minas Gerais, onde são feitas carteiras de identidade, carteira nacional de trabalho, Cadastros de Pessoas Físicas (CPFs) e passaportes. Devido à falta de energia, o atendimento em ambos está prejudicado. Os lojistas se organizam em uma associação, mas não há movimentação em torno de possível ação judicial ou pedido de indenização contra a empresa administradora do shopping. (Jornal da Manhã – Uberaba)