Coluna MG

Coluna de Minas: Entidades querem flexibilização

27 de março de 2020

Entidades e sindicatos querem a flexibilização do decreto municipal para a reabertura do comércio em Uberaba. Um documento foi apresentado ao prefeito Paulo Piau. A informação é do presidente da Associação Comercial e Industrial de Uberaba (Aciu), Anderson Cadima. Além da Aciu, a mobilização conta com o apoio da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais Vale do Rio Grande (Fiemg), Sindicato do Comércio de Uberaba (Sindicomércio), Sindicato dos Profissionais da Contabilidade e Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de Uberaba. O presidente da Aciu sabe da importância de salvar vidas, mas observa o cenário econômico prejudicado com o decreto que determina o fechamento do comércio até o dia 30 de abril. (Jornal da Manhã – Uberlândia)

Reabertura de hospital

A Prefeitura de Uberlândia comunicou que requisitou a utilização do hospital Santa Catarina para uso no combate e prevenção à Covid-19. A medida já foi publicada no Diário Oficial do Município e a justificativa pelo uso do espaço é devido à “necessidade de adoção de medidas excepcionais e transitórias para resguardar a saúde coletiva e individual, diante do quadro de pandemia provocado pelo novo coronavírus”. Ainda segundo o Executivo, a partir desta terça-feira, 24, um grupo de trabalho vai começar a atuar para colocar em funcionamento os 20 leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e outros leitos existentes no hospital, além de todos os equipamentos disponíveis no local. (Diário de Uberlândia)

Combate ao Coronavírus

A Justiça mineira homologou acordo entre o Estado de Minas Gerais e a Vale S.A. que vai permitir a utilização de R$ 5 milhões e seus rendimentos para a construção de ala específica, no Hospital Eduardo de Menezes, para atender pacientes acometidos pelo Coronavírus (Covid-19). O pedido de homologação foi apresentado pela Advocacia-Geral do Estado (AGE) e pela Vale ao juiz Elton Pupo Nogueira, da 2ª Vara de Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte, na noite de quarta-feira, 18. O valor liberado vai ser considerado como compensação ou reparação no julgamento final do processo que apura a extensão dos danos causados pela empresa com o rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho. (Jornal Correio do Sul- Varginha)

Cemig coloca à venda imóveis

A Cemig vai vender por meio de pregão eletrônicos 26 imóveis, avaliados em aproximadamente R$ 19 milhões, próximos à represa de Três Marias e, também, no centro de Belo Horizonte, em Lagoa Santa, Araguari, Pouso Alegre e outros municípios do Triângulo, Zona da Mata, Vale do Jequitinhonha e das regiões Norte, Sul, Oeste e Sudoeste de Minas. Nas imediações da represa de Três Marias, vão ser colocados à venda um imóvel em Morada Nova de Minas e oito propriedades no loteamento Náutico Três Marias, no município de mesmo nome. No Sul de Minas, são três imóveis urbanos em Pouso Alegre, São Lourenço e Itutinga. (Gazeta de Varginha)

Vacinas acabam no primeiro dia

Com a previsão de atender mais de 20 mil idosos durante a primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza em Poços, o estoque de 5,2 mil doses disponível para o primeiro dia em 25 postos durou apenas até o início da tarde desta segunda-feira, 23. A chegada de novas doses está previstas para a próxima semana.