Cinema Destaques

‘Tiradentes’ vai ao ar na faixa Cine Nacional

22 de abril de 2022

A TV Brasil leva ao ar nesta quinta-feira (21) o filme inédito “Tiradentes” (1998), às 22h30, na faixa Cine Nacional. A exibição do drama biográfico marca o Dia de Tiradentes, data que homenageia o herói nacional brasileiro Joaquim José da Silva Xavier, mártir da Inconfidência Mineira.
A trama apresenta um olhar irreverente sobre a revolta separatista também conhecida como Conjuração Mineira, uma grande tentativa de tornar o Brasil independente de Portugal. A produção revela uma perspectiva diferente da convencional sobre os acontecimentos que envolveram o levante e a condenação dos conjurados.
Conhecido como Tiradentes, Joaquim José da Silva Xavier teve sua condenação à morte por ser um dos únicos revoltosos em grandes posses. O filme mostra um Tiradentes inquieto, aventureiro, corajoso e namorador.
Acompanha ainda pessoas comuns como Tomás Antônio Gonzaga, Marília de Dirceu, Barbara Eliodora, Alvarenga Peixoto e Silvério dos Reis. Era gente com sonhos, desejos, fraquezas e inquietações. Conduzidos por estes personagens, sedutores e humanos, uma teia de ideais e traições será descortinada, naquele que foi um dos mais importantes episódios da história do país.
Com esse ponto de vista intrigante, o longa-metragem destaca que grande parcela da elite de Ouro Preto, em Minas Gerais, estava envolvida no movimento. Apesar disso, a maior parte daquelas pessoas não sofreu processos nem foi para a prisão.
Partindo de ampla pesquisa histórica, o diretor apresenta um homem que oscila entre a masculinidade poderosa, para o que contribui a presença física de Humberto Martins, e certa ingenuidade quixotesca, com o mito cavalgando em câmera lenta ao som de uma música de Bob Dylan. Ao mesmo tempo, a montagem paralela dos acontecimentos funciona para misturar à vista do espectador elementos do cotidiano com as ações políticas, dando a entender que o protagonismo das pessoas comuns na Inconfidência não necessariamente envolvia grandiosos ideais de libertação e autonomia num projeto cívico de tomada do poder ou de independência nacional. De fato, colabora para essa interpretação a opção por representar a morte do Claudio Manoel da Costa como um assassinato sem assassino evidente, e não como suicídio, conforme registrado oficialmente. E também nesse sentido, a personagem mais interessante do filme não necessariamente é o Tiradentes, mas pode ser Joaquim Silvério dos Reis (Rodolfo Bottino), que a todo momento olha diretamente para o espectador, como a chamá-lo como cúmplice de seus atos, numa clara e tradicional provocação cinematográfica (que quase pode ser eleita característica definidora do cinema da retomada, de tão explorada foi pela produção nacional de 1995 a 2005).
Dirigido por Oswaldo Caldeira, a obra traz grandes personalidades da dramaturgia nacional. Os protagonistas são interpretados pelos atores Humberto Martins, Rodolfo Bottino, Cláudio Corrêa e Castro, Paulo Autran, Adriana Esteves, Marcos Ricca e Giulia Gam. O elenco traz ainda outros astros do cinema no país.

Tiradentes (Brasil, 1998) – Dir.: Osvaldo Caldeira. Com Humberto Martins, Marco Ricca, Adriana Esteves, Júlia Lemmertz, Giulia Gam. TV Brasil, 22h30