Cinema Destaques

‘Óleo de Lorenzo’ hoje no Cine Clube

19 de outubro de 2021

Nick Nolte e Susan Saradon são os protagonistas do filme baseado numa história real

A vida de uma família é profundamente alterada através de um diagnóstico médico, uma doença rara e incurável atinge um menino de apenas cinco anos e abala a estrutura psicológica de seus pais. Baseado numa história real, o filme O óleo de Lorenzo, que o cine clube “Pipoca & Bala Pipper” apresenta nesta terça-feira, retrata uma belíssima história de amor, não um romance convencional, entre homem e mulher, sobretudo de amor a vida, tendo como pano de fundo o fortalecimento dos laços fraternais entre pais e filhos.

A trama também mostra outra vertente bastante significativa, pois reflete os padrões e até mesmo as limitações impostas pela ciência convencional. O casal de historiadores Augusto e Michaela Odone (interpretados por Nick Nolte e Susan Saradon) tem uma vida aparentemente normal ao lado do único filho (Lorenzo Odone) do casal e de Michaela Augusto Odone tem outros dois filhos oriundos do seu primeiro casamento mas, tudo começa a mudar quando a criança começa a apresentar sinais de hiperatividade, surdez e desequilíbrio corporal.

Intrigados com estes sintomas os pais recorrem a vários médicos, a fim de identificar a sua causa, e depois de muito penar recebem o diagnóstico final: o menino é portador de Adrenoleucodistrofia (ALD), uma doença muito rara e o pior de tudo degenerativa, de acordo com os médicos o garoto não viveria mais de três anos.

A ALD se caracteriza pelo acúmulo de ácidos graxos saturados de cadeia longa (principalmente ácidos com 24 e 26 carbonos) na maioria das células do organismo afetado, mas principalmente nas células do cérebro, levando à destruição da bainha de mielina, que protege determinados neurônios. Sem a mielina, estes neurônios perdem a capacidade de transmitir corretamente os estímulos nervosos que fazem o cérebro funcionar normalmente e aí surgem os sintomas neurológicos da doença.

O desespero toma conta do casal e principalmente de Michaela; pois Lorenzo além de ser seu único filho herdara a patogenidade da mãe, pois a ADL transmite-se exclusivamente de mãe para filho (somente do sexo masculino) devido uma disfunção genética relacionada com o cromossomo sexual X, e apenas as mulheres são portadoras, tendo 50% de chances de transmitir para o filho.

Envolveram-se numa ONG de pais com filhos portadores de ALD, porém constataram que os membros desta se preocupavam mais em aceitar e lidar com a doença, buscando somente a conformidade e não a cura.

Inconformado com essa situação, o pai do garoto (Augusto Odone) empenha-se em descobrir os fatores determinantes dessa doença. Para isso recorre inicialmente à medicina e acaba descobrindo que esta não oferece subsídios sólidos para saná-la, pois segundo os médicos esta é uma doença nova e desconhecida, não havendo expectativas imediatas de cura.

O tratamento sugerido pelos médicos (uma dieta rigorosa no controle dos ácidos graxos) mostra-se ineficaz, e Augusto resolve tomar de vez as rédeas da situação.

Este é o ponto culminante da história, a partir desse momento os pais do garoto passam a estudar ferrenhamente sobre os mecanismos de ação desta doença, no intuito de poder discutir com os médicos a melhor forma de tratamento para amenizar os sintomas apresentados por Lorenzo.

A princípio buscavam aprender e entender como as células do nosso organismo funcionam, para isso, passavam dias e noites em bibliotecas, mergulhados nos livros, isso em uma época em que computadores pessoais e Internet eram palavras completamente desconhecidas.

O ÓLEO DE LORENZO (Lorenzo’s Oil). EUA, 1993. Gênero: Drama. Diretor: George Miller. Elenco: Nick Nolte, Susan Sarandon, Peter Ustinov. Cine Clube Pipoca & Bala Pipper, em Passos, anfiteatro da Casa da Cultura, nesta terça-feira, 19, 20h00.