Agronegócio Destaques Geral

Sinrural encampa chapa para disputar presidência da Faemg

Por Adriana Dias / Redação

8 de Maio de 2021

PASSOS – Ao longo dos 60 anos da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), esta é a primeira vez que a eleição para a diretoria tem disputa entra chapas. Até então havia consenso, o que, neste atual processo eleitoral não vai acontecer. A distensão iniciou no ano passado com uma divergência envolvendo a diretoria do Incra e duas chapas começaram a se desenhar como oposição à atual diretoria. Em Passos, o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Passos (Sinrural) Darlan Esper Kallas foi procurado pelos três grupos e acabou por sugerir que dois postulantes se unissem em uma chapa única e forte. Feito. Nesta sexta-feira, 7, foi firmada a chapa ‘Renovação e Participação’ que tem como candidato a presidente Breno Mesquita, vice-presidente tesoureiro Wesley Barbosa de Freitas, vice-presidente secretário Arnaldo Botrel e vice-presidente membro do Conselho Fiscal o próprio Darlan Kallas. A inscrição é no dia 17 de maio e a votação em 31 de agosto.

De acordo com o presidente do Sinrural de Passos, as conversas tiveram início já há algum tempo. “Recebi representantes dos três grupos, sendo que dois deles são de oposição e se diziam insatisfeitos. Com isso, há três semanas em uma reunião em Uberaba, o que consideramos um noivado, a chapa se alinhavava para a junção das duas forças que eram a do atual vice-presidente tesoureiro Breno Mesquita e do produtor rural e presidente fundador da Aprosoja Wesley Barbosa de Freitas. Hoje, podemos dizer que foi a realização do casamento para a chapa Renovação e Participação, durante encontro que teve início às 13h no Sinrural com a presença de 25 sindicatos da região, do Triângulo Mineiro e do Sul de Minas”, explicou Kallas.

Questionado sobre as reivindicações dos produtores, Darlan Kallas disse ser a busca por uma Faemg que realmente represente os anseios, necessidades e dúvidas dos sindicatos que, por sua vez, representam os produtores rurais. “Com o novo marco da Reforma Administrativa do governo federal é necessário que os representantes das classes tenham em mente políticas públicas que atendam a estas categorias. E, no nosso caso, entendemos que a Faemg precisa e é essa sua função de atender a todas as categorias dentro do agronegócio. É preciso que todos os produtores sejam contemplados. Queremos uma Faemg voltada para os sindicatos, não um órgão de cabeceira para atender demandas específicas”, garantiu o sindicalista.

Sobre o Sinrural participar da chapa, Darlan Kallas disse que isso significa muito para a cidade. “Certamente esta posição representa um acréscimo na política de classe, no mesmo sentido que trás responsabilidade ainda maior para o Sindicato, e também, uma honraria”, explicou lembrando que Passos já foi representada em outras gestões anteriores.

Outra questão apontada pelo candidato à presidência, como necessidade de mudança na Faemg se refere ao estatuto. “O estatuto deverá ser alterado para não haver reeleição. Também precisa ser uma federação que busque a profissionalização dos sindicatos. Precisamos ter em mente a necessidade de crianças com o ensino rural para que tenham orgulho e aprendam sobre a vida no campo. Que ao crescerem estas pessoas tenham um olhar atencioso com o produtor rural. Dentro destes movimentos queremos que a Faemg seja uma perfeita coluna vertebral dentro do estado. Que as associações e os produtores cheguem à Faemg sem ter que fazer agendamento, ou seja, que se sintam em casa. E mais do que isso, que a Faemg seja a força para atuar, tenha voz dentro dos órgãos governamentais, das secretarias, do Ministério da Agricultura para ajudar os produtores. Esta é sem dúvidas, uma chapa que vem composta por membro que nasceu na roça e mora na roça. Esta identidade é nossa bandeira”, assegurou Mesquita.