Agronegócio Destaques

Receita com exportações cresce 20% em Minas e atinge recorde de US$10,5 bilhões

25 de janeiro de 2022

Foto: Reprodução.

BELO HORIZONTE – A receita com as exportações do agronegócio mineiro aumentou 20,23% em 2021. Segundo informações do governo de Minas, as vendas ao mercado externo atingiram US$10,5 bilhões, valor recorde na série histórica registrada desde 1997. Em 2020, o estado exportou US$8,72 bilhões e, em 2011, então melhor ano para as exportações mineiras, o valor foi de US$9,7 bilhões.

O café, principal produto da pauta de exportações do agro mineiro, responde por 42,4% do total comercializado no ano passado, com 27,5 milhões de sacas embarcadas e receita de US$ 4,4 bilhões. Os dados do comércio exterior mostram, ainda, que dos 28 grupos que compõem a pauta exportadora do setor, 93% tiveram crescimento nas vendas na comparação com 2020.

De acordo com o governo estadual, o volume embarcado pelo agro em 2021 foi de 12,5 milhões de toneladas, o que representa queda de 2,1% em relação ao ano anterior. A ampliação da receita de vendas no contexto de redução do volume comercializado evidencia o fenômeno observado no decorrer de 2021: a alta na cotação dos produtos exportados. Em média, a tonelada foi negociada em cerca de US$ 841,18.

“Neste momento de retomada das atividades em nosso estado, é um sinal de que o setor produtivo é capaz de contribuir muito para o nosso desenvolvimento”, afirma a secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini.

O agronegócio mineiro representou 27,5% do total das exportações do estado. De acordo com a avaliação da secretária, o bom desempenho reflete o crescimento na demanda mundial de alimentos e o acesso a novos mercados.

“Minas Gerais tem acompanhado esse movimento. Desde o início desta gestão, estamos trabalhando em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede) na realização de eventos para diversificação e a divulgação dos produtos exportados. Ainda que a exportação de certos segmentos seja pequena, como é o caso de lácteos, o seu crescimento já mostra uma tendência e novas possibilidades”.

A produção mineira chegou a 176 destinos. Os principais parceiros foram China (US$ 2,76 bilhões), Estados Unidos (US$ 1,2 bilhão), Alemanha (US$ 927 milhões), Itália (US$ 507 milhões) e Japão (US$ 473 milhões), que juntos, importaram 55,1% das vendas externas do setor. Todos os principais destinos registraram aumento das compras.

Café

Mesmo tendo sido um ano de desdobramento da bienalidade negativa, houve incremento de 16,1% no valor das vendas de café e decréscimo de 3% no volume embarcado. Com US$ 4,4 bilhões em receita nas exportações em 2021, o café registra alta de 16,1% em relação a 2020. Os Estados Unidos ultrapassaram a Alemanha na liderança das importações do café, posição tradicionalmente sustentada ao longo dos anos. No ranking dos principais compradores estão EUA (US$ 865 milhões), Alemanha (US$ 847 milhões), Bélgica (US$ 450 milhões), Itália (US$ 391 milhões) e Japão (US$ 340 milhões).

Soja

O complexo soja (grão, farelo óleo) respondeu por 22,8% das exportações, com recorde tanto na receita, que alcançou US$ 2,4 bilhões (+33,3%), quanto no volume de 5,1 milhões de toneladas (+3,8%). As vendas do grupo foram lideradas pelo grão, que representou 87% da fatia das transações. A China manteve adquiriu 70% dos grãos de Minas Gerais (US$ 1,7 bilhão e 3,7 milhões de toneladas).

Carnes

As exportações de carnes também registraram recorde de vendas, com valores de US$ 1,2 bilhão e 351 mil toneladas. O crescimento da receita chegou a 14,4%% e foi impulsionado pela expansão das compras da China, com US$ 575 milhões e 131 mil toneladas. O segmento respondeu por 11,2% das exportações do agronegócio.

Outros  produtos

O Complexo Sucroalcooleiro atingiu a marca de US$ 1,51 bilhão e 3,6 milhões de toneladas. Todos os principais produtos desse segmento apresentaram valorização na receita: açúcar (+5,3%); álcool (+52%) e demais açúcares (+8,6%). Os principais destinos das exportações do complexo sucroalcooleiro foram China, Bangladesh, Nigéria, Marrocos e Argélia.

Outros segmentos também avançaram nas exportações como lácteos (44%), fibras e algodão (31%), produtos apícolas (133%), bebidas (172%), produtos oleaginosos (111%) e couros (87%).

Praticamente quase toda a pauta exportadora do agronegócio de Minas Gerais obteve incremento nas vendas, na comparação entre 2021 e 2020. Esse cenário indica que os esforços para a diversificação dos produtos exportados já vêm apresentando resultados significativos, tanto em números de produtos quanto na agregação de valor.