• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    26/11/2019 09h13 - Atualizado em 26/11/2019

    Serviço de Endoscopia adquire aparelho de alta precisão

    O moderno equipamento consegue realizar a coloração dos tecidos digestivos por via eletrônica

    A Endodiagnose, clínica credenciada à Unimed Sudoeste de Minas, adquiriu um novo aparelho de endoscopia digestiva alta e baixa, que permite imagens em alta definição (Evis Exera III Olympus HD), ampliando a possibilidade de detecção de cânceres e lesões suspeitas.

     

    O moderno equipamento consegue ainda realizar a coloração dos tecidos digestivos por via eletrônica, a chamada “cromoscopia digital”, técnica que realça detalhes que poderiam passar despercebidos em aparelhos tradicionais.


     Na clínica, localizada no Hospital São José/Unimed, são realizados cerca de 350 exames por mês, entre endoscopias, colonoscopias e duodenoscopias. A equipe é formada por José Armando Maia Righetto, diretor técnico e clínico, com especialidade em Cirurgia Geral, Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva, pelo cirurgião geral e gastroenterologista Cláudio Antônio Félix de Oliveira, pelo cirurgião geral Mateus Giannini Silva, pelos cirurgiões gerais e coloproctologistas Thiago Silva de Paula e Carlos Renato dos Reis Lemos e pela cirurgiã geral e endoscopista Andrea Minchillo Coelho. Fazem parte ainda da equipe uma secretária, uma enfermeira e três técnicas de enfermagem treinadas para lidar com os processos destes exames.


     A endoscopia digestiva alta e baixa é um tipo de exame que utiliza um tubo flexível fino com uma câmera em sua extremidade para investigar imagens das cavidades digestivas do corpo. No caso da endoscopia digestiva alta, ela é indicada quando o paciente apresenta dor abdominal alta persistente, podendo estar associada à perda de apetite e emagrecimento, dor para engolir ou dificuldade de deglutição, conhecida como disfagia.Também pode ser indicada quando o paciente apresenta sintomas de refluxos gastroesofágicos, vômitos persistentes, sangramento gastrointestinal evidente ou oculto e na pesquisa de causa de anemias, além de biópsias do esôfago, estômago e duodeno, entre outras indicações.


    Através deste exame, é possível diagnosticar doenças como úlceras, gastrites, doença do refluxo, mas também permite a retirada de pólipos, evitando que eles se tornem lesões malignas ou até mesmo a retirada de um objeto, como quando uma criança engole acidentalmente uma moeda ou quando a pessoa ingere um osso de ave ou espinha de peixe, por exemplo. Através da endoscopia digestiva baixa, ou colonoscopia, pode-se detectar doenças como diverticulose, doenças inflamatórias intestinais, como doença de Crohn e retocolite ulcerativa e câncer do intestino. “O aparelho também permite ainda estancar hemorragias gastrointestinais através da clipagem do vaso sangrante”, explica José Armando Maia Righetto.


    Preparo e contraindicações

     Os exames são indolores e realizados sempre sob sedação. É preciso que o paciente passe por um preparo prévio, que envolve de 08 a 10 horas de jejum, dependendo da idade. No caso da colonoscopia, é necessário ainda a uma dieta isenta de fibras e utilizar medicamentos que limpem o intestino antes da realização do exame.


    “Qualquer procedimento médico tem riscos, mas o exame é feito com muito cuidado e toda a equipe é extremamente capacitada. Na endoscopia digestiva alta, é feita a aspersão de um anestésico na cavidade bucal, seguida por gargarejo e utiliza-se uma medicação intravenosa que induz o estado de sedação. Durante o exame é colocado um cateter para levar oxigênio ao paciente, que é monitorado a todo momento. No caso da colonoscopia, como precisa de uma sedação mais aprofundada, torna-se necessário o acompanhamento de um anestesista”, afirmou o médico.


    Ainda conforme o clínico, existem algumas contraindicações para a realização deste exame, como casos de pacientes com cardiopatias e pneumopatias graves, gravidez após o segundo semestre, grande aneurisma de aorta ou de ilíaca, aumento anormal do volume do baço e, nos casos de hemorragia digestiva alta para uma maior segurança do paciente se faz necessário que o paciente seja examinado na maioria das vezes sob anestesia geral, sendo que este paciente deverá sempre encontrar-se sob regime de internação.


    “A Endodiagnose completa seus 10 anos junto ao Hospital São José Unimed e com esta nova aquisição cumpre com o seu principal objetivo: o paciente. Por isso, nossa equipe aprimora-se sempre na arte da endoscopia”, explica o diretor técnico e clínico da Endodiagnose.  

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2020 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus