• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    23/11/2019 09h27 - Atualizado em 25/11/2019

    Passenses reclamam de cobranças de alguns estabelecimentos

    Seção Livre

    Adquirir uma prestação de serviço como internet, escola, clubes e outros deixa alguns passenses indignados com a tática que eles usam para vender ou oferecer determinado trabalho, e o motivo se dá pela cobrança de juros e por dar descontos a quem faz o pagamento em dia. Segundo um assinante da Folha, que preferiu não se identificar, ele gostaria de saber do Procon e dos responsáveis sobre uma prática que vem acontecendo ultimamente. “Várias escolas, provedores de internet, clubes estão colocando as mensalidades com preços mais altos que a média, lá em cima, e dão descontos para quem pagar em dia. Se não pagar, ou seja, atrasar, voltam para o preço normal e ainda cobram juros e multas. Isso é para esconder as cobranças de juros abusivas, proibidas por lei”, alegou. Ainda conforme o entrevistado, ele chegou a ir a um provedor de internet e “me passaram o preço de R$70, mas se eu não pagar, vai para R$110. Alguém tinha que tomar providências”, disse. Além disso, um outro leitor da Folha contou que chegou a ir a um clube e foi informado a ele que, se pagasse naquele dia, em que ele estava apreçando, o entrevistado receberia um desconto, caso contrário, pagaria um valor superior.

    Resposta:

    Em resposta, a coordenadora do Procon municipal de Passos, Gabriela Lemos, informou que, para evitar confusão, seria viável que os cidadãos que tenham a mesma reclamação dessa da seção livre procurarem por ela no Procon, na Unidade de Atendimento Integrado (UAI). Caso ela não esteja, podem falar com alguém do atendimento do próprio Procon, pois Gabriela explicou a situação para que os funcionários da unidade possam atendê-los da melhor forma possível. Além disso, a entrevistada acrescentou que cada caso é diferente um do outro e que é sempre preciso ver e entender a situação de cada reclamante. E, principalmente os envolvidos citados na seção livre, podem falar diretamente com ela.
     

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus