• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    07/10/2019 08h52 - Atualizado em 07/10/2019

    Walker Américo Oliveira, prefeito de São Sebastião do Paraíso

    "Economia, essa é a palavra-chave na administração municipal"

    Adriana Dias - Da Redação

    O advogado e prefeito de São Sebastião do Paraíso, Walker Américo Oliveira, o Walkinho, 46 anos, graduou-se em Direito pela Universidade de Alfenas (Unifenas) e também em Administração de Empresas pela Libertas Faculdades Integradas.

    No ramo do Direito, cursou a pós-graduação em Processo Civil pela Universidade de Franca (Unifran) e, na Administração, se pós-graduou como Gerente de Cidades pela Fundação Armando Alvares Penteado (Faap) de Ribeirão Preto, especializações que lhe servem como base de apoio para administrar uma cidade com a população estimada, em 2019, em 70.956 habitantes.

    Casado com Kelly Cristina Caetano Oliveira, com quem tem a filha Ana Clara Caetano Oliveira, de 12 anos, Walkinho é na família o que faz a contraposição da aridez que normalmente é a vida política. O paraisense diz gostar de estar com sua família nos fins de semana.

    Conta que aprecia uma boa cerveja de forma moderada e que, quando pode, tem um grande prazer em programar uma viagem com a família e praticar atividade física durante a semana, sendo um tempo que faz questão de ter só pra ele.

    E, leitor voraz, tem sempre um bom livro na cabeceira da cama. Aos domingos, conta que não abre mão de participar da missa, sendo um momento exclusivo com Deus para agradecer por tudo e pedir proteção. Faltando exatamente um ano para o próximo pleito eleitoral, o Entre Prosas conversa com o prefeito de Paraíso sobre sua trajetória e os próximos passos na caminhada política.


    Folha da Manhã - Quando e qual o motivo que o fez entender que ser chefe do Executivo seria algo importante?

    Walkinho – Após a minha experiência no Poder Legislativo, percebi que poderia contribuir de uma forma mais efetiva para toda a comunidade de São Sebastião do Paraíso no Poder Executivo. Assim, numa reunião política com 12 partidos, fui escolhido como candidato e, já no fim da campanha, houve a renúncia do então prefeito e seu vice. Percebendo que nenhum dos pares da época estavam dispostos a enfrentar a situação crítica pela qual a cidade passava, aceitei o desafio. E a população viu que minha atitude mereceria um voto de confiança e resolveram, por maioria, me dar essa oportunidade e cá estou, dia após dia, lutando e enfrentando os problemas apresentados para, ao menos, tentar devolver a confiança em mim depositada e proporcionar uma melhor qualidade de vida ao nosso povo.

    FM - Quais são os principais desafios enfrentados na administração de São Sebastião do Paraíso, frente, principalmente, aos atrasos dos repasses de verbas oriundas do governo estadual?

    Walkinho – Essa falta de repasse por parte do governo estadual gerou um problema não somente para a nossa São Sebastião do Paraíso, mas, sim, para todos os municípios mineiros. O maior desafio é enfrentar a crise, pois, é sabido que administrar em tempos de cofres cheios é fácil, mas a crise, a falta de dinheiro, torna a administração extremamente mais difícil e complicada. Mas, uma equipe competente e responsável, com profissionais técnicos em cada área e o entrosamento entre todos faz com que o trabalho de gestão seja mais eficaz. O maior desafio é tentar proporcionar muito com pouco, equilibrar as contas e pagar as dívidas que herdamos e poder, como vimos fazendo, manter os vencimentos dos servidores em dia e as contas da Prefeitura ao menos com perspectivas boas no futuro.

    FM - Quais são as alternativas encontradas pela administração para driblar os constantes déficits orçamentários?

    Walkinho – Economia, essa é a palavra-chave na administração municipal. Quando assumimos o Executivo, de imediato, já economizamos ao colocar nos cargos de confiança os servidores efetivos, que são os que conhecem a administração de ponta a ponta. Além disso, reduzimos os gastos em todas as pastas de forma significativa e exigimos dos secretários que trabalhem de forma consciente e como se estivessem administrando suas casas. O problema do Poder Público é que a grande maioria dos municípios utiliza do dinheiro público de forma irresponsável, não valoriza a arrecadação vinda dos impostos dos trabalhadores, mas, aqui em São Sebastião do Paraíso, não é assim. Sabemos das dificuldades enfrentadas por todos para que cumpram com o seu papel de cidadão e procuramos sempre, com muita austeridade e responsabilidade, aplicar os recursos oriundos de todos os membros da comunidade de modo que percebam que aqui tem Prefeitura.

    FM - A administração municipal vai realizar concurso público? Esta é uma demanda que o senhor poderá solucionar?

    Walkinho – Temos a previsão do concurso público para o mês de novembro, uma demanda vinda da população que vamos cumprir. Já neste mês de outubro, devemos publicar o edital e, em breve, divulgaremos para que todos tenham acesso.

    FM - O senhor passou por momentos de tensão com relação a uma tentativa de pedido de impeachment. Como está essa situação, uma vez que um dos vereadores que queria cassá-lo chegou a ser até preso justamente por tentar extorqui-lo?

    Walkinho – Esse assunto é muito delicado de se tratar, vivemos um episódio em nossa cidade que nenhum prefeito gostaria de passar. Mas o que todos concordam é que existem pessoas que tentam atrapalhar a administração. Sou um homem que recebi de meus pais princípios que utilizo todos os dias, procuro sempre me fazer acompanhar da verdade, da legalidade e da honestidade e jamais me desviarei desse caminho. A Justiça tem trabalhado para apurar todas as denúncias feitas contra mim, como também tem trabalhado para apurar o outro lado e tenho a plena confiança que a verdade sempre prevalece. Mas o que mais me deixa, de certa forma, tranquilo é poder perceber que o povo de São Sebastião do Paraíso já percebeu o que estavam tentando fazer com minha pessoa e hoje a imensa maioria me apoia por onde passo. O povo está farto de desavenças, por isso, não nos envolvemos nas intrigas daqueles que tentam dificultar o nosso trabalho. Atender às demandas da comunidade é o nosso foco, então, seguimos trabalhando muito, porque é isso que a população quer e precisa.

    FM - E como ficou a relação com o Poder Legislativo após esse incidente?

    Walkinho – Procuro ter uma boa relação com todos que comigo convivem. As portas do gabinete estão sempre abertas para receber os membros do Legislativo, sejam eles da nossa base ou da oposição. Quero continuar trabalhando e, se for para contribuir nesse sentido, todos são bem-vindos.

    FM - O que a abertura de um campus da Universidade Federal de Lavras (Ufla) representa para o município? E qual é o impacto para a região?

    Walkinho – Uma universidade federal do porte da Ufla significa muito para o município. É uma conquista que lutamos arduamente para conseguir. Podemos dizer que São Sebastião do Paraíso está prestes a se tornar um polo universitário, com uma economia mais pulsante e, acima de tudo, e posso dizer até mesmo uma das coisas mais importantes, um celeiro de profissionais nas mais diversas áreas. Para nossa região, o impacto somente pode ser positivo, pois, alunos de cidades vizinhas poderão estudar e se formar com ensino superior de qualidade perto de casa, pois, temos a sorte de termos uma região com cidades muito próximas e, na certa, veremos ainda muitos ônibus chegando e saindo de São Sebastião do Paraíso cheio de estudantes que se tornarão excelentes profissionais para nossa região. Paraíso começa uma nova fase com a instalação da Ufla.

    FM – O senhor pode se candidatar à reeleição, mesmo tendo sido reeleito, uma vez que exerceu tão somente um mandato ‘tampão’? E, se não como prefeito, tem pretensões de continuar a alçar algum outro voo na política?

    Walkinho – Quanto à questão da reeleição, existe o entendimento de que estou no primeiro mandato, haja vista que somente assumi o Executivo para ‘tampar’ um buraco deixado pelo ex-prefeito. Na realidade, em cargo eletivo no Executivo estou no meu primeiro. Sobre reeleição, creio que isso não deva partir de mim; temos ainda tempo para definir e pretendo ouvir a nossa base, nossos aliados e, sobretudo, nosso povo. Sobre alçar outro voo na política, seria a mesma coisa, ouvir todos e, na hora certa, para cada propósito, somente Deus pode nos apresentar.

    FM – Todo político está exposto às críticas e também aos elogios. Invariavelmente, com maior intensidade para críticas. Como o senhor lida com as críticas?

    Walkinho – A partir do momento em que você se torna político e, por consequência, uma pessoa pública, não existe mais espaço para uma total privacidade. É claro que as pessoas precisam, ao menos, tentar separar o público do privado, mas, infelizmente, alguns ainda não aprenderam a fazer isso e acabam por misturar as estações. Mas, diferentemente do que se apresenta nas redes sociais, onde um pequeno grupo, não somente em São Sebastião do Paraíso, mas em todo o Brasil, levanta uma bandeira e acaba fazendo mais barulho que outro, nas ruas temos percebido o apoio e as manifestações de contentamento da população que entende as dificuldades que estamos enfrentando e sabem reconhecer o trabalho de gestão bem feito.

    FM – Como o senhor avalia a não eleição do deputado Carlos Melles, antes representante da região na Câmara dos Deputados? E como é a relação do senhor com ele e com o DEM de Paraíso?

    Walkinho – Toda cidade merece ter os seus representantes nas esferas estadual e federal, mas, infelizmente, acabamos por perder essa representatividade em Brasília com a não reeleição de Carlos Melles. Mas podemos ver que ainda temos força, afinal de contas, perdemos um deputado federal, mas hoje contamos com o presidente Nacional do Sebrae, que é uma instituição de extrema importância para todos, sem contar que, com sua experiência e o trânsito que possui em Brasília, por ter sido inúmeras vezes deputado, ministro de Estado, secretário, o Melles ainda trabalha muito, não só para São Sebastião do Paraíso, mas para toda a região, e isso é motivo de muito orgulho para todos. Quanto à minha relação com o DEM, acredito que um chefe de poder deva manter uma relação amistosa com todas as siglas, haja vista que administramos para uma comunidade como um todo e precisamos de todo o apoio que conseguirmos para atender à nossa cidade.

    FM – A propósito do DEM, como está a sua relação com o senador Rodrigo Pacheco? Na pré-campanha de 2018, cogitou-se a possibilidade de o senhor migrar para o partido para apoiá-lo na corrida estadual. As conversas e possibilidades permanecem?

    Walkinho – O senador Rodrigo Pacheco, hoje em dia, é um dos políticos mais influentes em nossa região; temos uma relação muito boa e amistosa. Com relação a apoio, creio que devemos e temos por obrigação apoiar os que amanhã podem nos representar e gerar frutos para nossa cidade e região. Estou bem no meu partido, consigo transitar em todas as esferas dele e, hoje, na atual conjuntura, não pretendo me desligar ou migrar para outra sigla, mas, como dito anteriormente, todas as decisões tomadas daqui pra frente serão com base em muito diálogo.

    FM - Se o senhor pudesse corrigir um erro na gestão, qual seria?

    Walkinho – Creio que erros são apresentados diariamente e temos que corrigi-los e enfrentá-los o tempo todo. Somos humanos e passíveis de erro. Não há um ponto específico a corrigir; há, sim, uma Prefeitura em situação difícil, dada a falta dos repasses constitucionais e as administrações anteriores irresponsáveis, e todo dia corrigimos algo para que voltemos aos trilhos.

    FM - A intervenção que o senhor fez na Santa Casa foi positiva? E daqui pra frente?

    Walkinho – A intervenção na Santa Casa, acredito ter sido positiva, pelo fato de hoje termos um hospital referência na região em termos de tratamento em todas as especialidades, principalmente a cardíaca. Recebemos pacientes de toda a região, de todo Estado e de vários lugares do país. O Adriano Rosa realizou um brilhante trabalho frente à instituição e agora contamos com a experiência e competência do Fernando Montans Alvarenga, interventor da Santa Casa, eleito provedor que tomará posse, que tenho certeza que fará ainda muito mais pelo nosso hospital e pelo nosso povo.
     

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus