• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    26/09/2019 09h41 - Atualizado em 26/09/2019

    Queijeiros da Aprocan ganham 47 medalhas

    O PRÊMIO É UMA DAS MAIORES FESTAS DO QUEIJO ARTESANAL BRASILEIRO E A LUTA PARA AUMENTAR OS PADRÕES DE QUALIDADE GLORIENSE RESULTA EM PRATA E BRONZE PELA PRIMEIRA VEZ

    Adriana Dias - Da Redação

    Dos 79 queijos apresentados pelos queijeiros da Associação dos Produtores de Queijo Canastra (Aprocan), com sede em São Roque de Minas, 47 deles receberam medalhas como premiação no V Prêmio Queijo Brasil, considerada uma das maiores premiações de queijos artesanais brasileiros. O evento aconteceu na última sexta-feira, 20, em Florianópolis/SC. Gloriense vence duas premiações sendo a primeira vez que concorrem pela associação.


    De acordo com a secretária Executiva da Aprocan, Sophia Miranda, a comitiva da associação foi composta por ela e os colaboradores Higor Douglas, que é gerente de Projetos, do advogado voluntário Marco Aurélio Braga, dos representantes do Sebrae Minas Ricardo Boscaro e Ana Caroline Pessoni e quatro produtores de queijo.


    Dentro da premiação 23 queijos são da cidade de São Roque de Minas, 6 de Vargem Bonita, 4 de Delfinópolis, 4 de Piumhi, 4 de Medeiros, 3 de Tapiraí, 2 de São João Batista do Glória, 1 de Bambuí.


    A primeira edição do Prêmio Queijo Brasil foi realizada em 2014 com 136 queijos inscritos. A segunda edição, em 2016, foram 234 e na Terceira Edição em 2017, foram mais de 363 queijos inscritos de todo país representando a micro e pequena produção artesanal de laticínios. Em 2018 o evento teve um número maior, alcançando mais de 479 queijos e 2019 chegou à casa dos 718 queijos inscritos.


    Dos 718 queijos de todo o país, foram premiados 54 na categoria Ouro, dos quais os produtores da Aprocan ficaram com 6 titulações. Na categoria Prata foram premiados 54 queijos, sendo 13 representantes da associação mineira e na categoria Bronze a distribuição de medalhas aconteceu para 135 queijeiros brasileiros, dentre os quais 28 eram da associação de canastreiros.


    Para a secretária Executiva da Aprocan, Sophia Miranda a associação acredita que essa premiação mostra cada vez mais que a região está em constante evolução. “Percebemos que nossos produtores estão sendo reconhecidos pela qualidade de seus produtos. O evento permite maior divulgação dos queijos brasileiros e suas características bem peculiares da Canastra”, afirmou Sophia.

     

    Edição

    Esta quinta edição do concurso, realizado pela Associação de Comerciantes de Queijo Artesanal Brasileiro (ComerQueijo), foi marcante em vários aspectos. A começar pelo crescimento no número de inscritos, que foi de cerca de 50% em relação ao ano passado, passando de 479 para 718. Já a decisão de levar o evento para fora de São Paulo teve reflexo importante, pois percebeu-se que o estímulo regional foi considerável.

     

    Com a realização em Florianópolis, foi ampliada a presença de produtores da região Sul, sobretudo Santa Catarina, que passou a ser o segundo estado com maior número de queijos concorrentes (80 queijos). E para dar conta dessa tarefa que só cresce, equipe de 32 jurados trabalhou intensamente na capital catarinense durante dois dias para chegar aos resultados divulgados na tarde de hoje na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. A missão do prêmio continua a mesma: promover o queijo artesanal brasileiro e contribuir com o aprimoramento da sua cadeia produtiva, a começar pelos produtores.


    O evento, realizado pela primeira vez em Florianópolis, marcou o encerramento do Seminário sobre Produtos Artesanais de Origem Animal, promovido pela Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).


    O evento teve como objetivo orientar os produtores sobre as ações necessárias para legalizar a produção de queijos e de outros alimentos artesanais e reuniu durante todo dia produtores, comerciantes e veterinários que atuam na produção de queijos coloniais. Os participantes do concurso foram julgados por 32 jurados.


    Além disso o concurso tem como intuito divulgar a diversidade dos queijos artesanais produzidos em território nacional; fortalecer a integração entre os agentes da cadeia produtiva do QAB: Produtores, transportadores, lojistas, pesquisadores, consumidores e instituições governamentais.

     

    Também reconhecer e valorizar o produtor artesanal que prioriza a qualidade de seu produto; estimular a melhoria da qualidade dos queijos através do intercâmbio de conhecimentos entre produtores, consumidores e especialistas e estimular a ampliação do mercado consumidor dos queijos artesanais brasileiros.

     

     


     

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus