• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    12/09/2019 10h33 - Atualizado em 12/09/2019

    Juliana comemora sucesso de Maria da Paz

    Em ‘A Dona do Pedaço’, a vida de Maria da Paz (Juliana Paes) não tem sido fácil. Diante de tantas perdas e sofrimento, ela se reinventa novamente e começa a vender seus bolos nas ruas de São Paulo.

     

    Exatamente como fez há 20 anos, quando precisou mudar de sua cidade para não ser morta pela família dos Matheus, após o atentado à vida de Amadeu (Marcos Palmeira). A filha Josiane (Agatha Moreira) sempre foi seu maior combustível para viver e mesmo depois da separação das duas, a partir da traição da jovem, ela ainda é um dos motivos que a faz querer vencer.

     


    No entanto, Maria sabe que talvez nunca tenha o amor verdadeiro de Josiane, mas acredita que com um bom tombo ela possa aprender e tomar um rumo diferente na vida. Para isso, conta com a ajuda de Rock (Caio Castro), Téo (Rainer Cadete) e Agno (Malvino Salvador), que juntos armam um plano para que a jovem perca toda a fortuna que foi conquistada pela mãe às custas de muito trabalho.

     


    Enquanto isso, Amadeu (Marcos Palmeira) e Régis (Reynaldo Gianecchini), em lados opostos, buscam alternativas para conquistar a empresária. Apesar de ser seu grande amor, o advogado enfrenta o luto pela perda da esposa Gilda (Heloísa Jorge) e sabe que Maria respeita esse momento e por isso não se entrega. Mas para ficar ao lado da amada, a apoia em todas as decisões, desde a de vender bolos na rua à tentativa de montar uma nova confeitaria com o dinheiro da venda dos bolos. Por meio do seu ofício, ele oferece toda a assistência que ela precisa.

     


    Do outro lado, Régis decide se tornar um homem bom, mas para isso tem que se esforçar e retomar alguns assuntos do passado, como a possibilidade de ser pai de Artur (Bernardo Dantas). No passado, o playboy falsificou um exame de DNA e agora promete a Maria que fará de tudo para dar a atenção necessária à criança, caso seja comprovado que o menino é seu filho. Ao lado de Roma (Julia Lund), sua ex-namorada, ele decide fazer o teste novamente.

     


    Diante disso, com o apoio constante de Marlene (Suely Franco) e Evelina (Nivea Maria), Maria segue na luta para conquistar seu espaço no ramo, enfrenta a ira de Fabiana (Nathalia Dill), que assumiu a fábrica de bolos e tenta impedir que a empresária use seu próprio nome nos negócios, e passa por mais uma provação.

     

    Durante um dia de trabalho normal, é surpreendida por jovens anunciando um assalto. Assustada, entrega o dinheiro que tem e vê seu carrinho com todos os bolos ser derrubado. Desesperada, pede ajuda, mas a maior parte das pessoas em volta é indiferente ao pedido, menos Joana (Bruna Hamú), uma jovem doce e generosa, que não hesita em lhe oferecer a mão para carregar o carrinho e apoiá-la no momento. A identificação entre as duas é imediata.

     


    Numa entrevista, a atriz Juliana Paes comemora a chegada ao capítulo 100 e comenta que tem recebido retorno do público: “Eu já tinha vivido personagens de extrema repercussão, apelo popular , mas acho que nada nunca vai chegar nos pés da Maria da Paz.

     

    Pessoas te todas as idades me param para falar. Pessoalmente, pela internet e através de cartas. Recebi uma ontem de uma pessoa que começou a vender brownie, abriu uma browneria, começou com um troquinho que recebeu de uma demissão e investiu em algo que gostava de fazer. Hoje em dia vende pra caramba. Tenho recebido muitas histórias e depoimentos assim.

     

    É muito emocionante poder representar, personificar tantas histórias verdadeiras. Quando as pessoas falam, “Ela faz exatamente como é”, “Nossa, você está fazendo bem”. Isso pra mim é muito gratificante. É a única coisa que amortiza o cansaço que a gente está vivendo”.

     


    Indagada o que justifica o sucesso da novela, Juliana atribiu, primeiro, ao trabalho em equipe: “É um trabalho muito bonito. Todos começaram a trabalhar nessa novela com o espírito muito positivo e vontade de fazer dar certo. Além disso, tem a verve dessa personagem, que é um acerto do autor.

     

    Quando você coloca pra ser a dona do pedaço uma mulher batalhadora, guerreira, vencedora pelos próprios esforços e que agora nesse momento da trama não tem vergonha de recomeçar de partir do zero, de retomar sua vida, muitas pessoas poderiam ficar orgulhosas, né? E, depois de tudo, carregar um carrinho na rua.

     

    Quando você dá esse título de a nova do pedaço pra uma mulher com essas características, você está chamando de dona do pedaço muitas mulheres desse Brasil. Acho que esse é o grande mérito dessa novela, tocar na alma de tanta gente, não só de mulheres, mas homens também que tem esse espírito aguerrido, trabalhador, sem medo, positivo, uma maneira positiva de encarar a vida, não derrotista”, diz a atriz.

     


    No capítulo 100, desta quinta-feira, o público vai poder ver o encontro de Maria da Paz e Joana. Diante da pergunta sobre o que você ela poderia adiantar da cena e de que forma Joana vai chegar na vida de Maria, Juliana responde: “Joana chega em um momento de muita fragilidade da Maria da Paz.

     

    Ela é assaltada enquanto vende os bolos. Perde o que ganhou no dia e ainda tem seu carrinho inteiro virado no chão. Além do ganha pão, o carrinho é o símbolo do esforço, um trabalho, uma retomada, de um momento difícil na vida dela.

     

    Quando vê aquele carrinho derrubado no chão é um pouco o espelho como está a vida dela no momento, tombada. Quando a gente fez a cena e eu vi aquele carrinho derrubado no chão, eu não consegui parar de chorar, não estava no roteiro.

     

    Falei: “não quero fazer essa cena chorando”, mas eu não conseguia parar de chorar fora de cena. Ver aquele carrinho no chão foi muito sofrido pra mim. Queria muito fazer desse encontro um momento luminoso. Acho que vai ser um momento de muita ternura, porque é tão bonito quando você vê um gesto fraterno.

     

    Não tem nada que emocione mais do que ver uma pessoa fragilizada realmente, sendo ajudada por outra, realmente tendo alguém falando: “vem cá que vou te ajudar”, sem querer nada em troca. Ninguém ajuda Maria da Paz, mesmo ela pedindo. E a Joana chega e fala: “Eu vou te ajudar e levo o carrinho com você até em casa”.

     

    É um momento de emoção pelo gesto em si, puro, simples. E Bruna é uma menina linda, além de ter a beleza física que é óbvia, é muito linda no jeito. Tem toda a doçura que ela empresta pra personagem”.

     

    As cenas estão previstas para irem ao ar a partir de quinta-feira, dia 12. A novela é escrita por Walcyr Carrasco, com Nelson Nadotti, Márcio Haiduck e Vinicius Vianna, e tem direção artística de Amora Mautner, direção geral de Luciano Sabino e direção de André Barros, Bernardo Sá, Bruno Martins Moraes, Caetano Caruso e Vicente Kubrusly.

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus