• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    10/09/2019 10h00 - Atualizado em 10/09/2019

    Dia a Dia: A pessoa certa nas relações

    Décio Martins Cançado - Especial para a Folha

    Pensando bem em tudo o que a gente vê e vivencia, ouve e pensa, não existe uma pessoa ‘certa’ para cada um. Existe uma pessoa que, se você parar para pensar é, na verdade, a pessoa ‘errada’. Porque a pessoa certa faz tudo certinho, sempre! Chega na hora certa, fala as coisas certas, faz as coisas certas, mas nem sempre a gente está precisando das coisas certas.

     


    Aí é a hora de procurar a pessoa ‘errada’. A pessoa errada te faz ‘perder a cabeça’, perder a hora, morrer de amor... A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar, que é para quando vocês se encontrarem, a entrega ser muito mais verdadeira. A pessoa ‘errada’ é, na verdade, aquela que a gente chama de pessoa ‘certa’.

     


    Essa pessoa vai lhe fazer chorar, mas, uma hora depois, vai enxugar suas lágrimas. Ela vai tirar seu sono. Talvez lhe magoe e depois lhe encha de mimos, pedindo seu perdão. Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado, mas vai estar 100% da sua vida esperando você. Vai estar o tempo todo pensando em você.

     


    A pessoa errada tem que, em algum momento, aparecer para todo mundo, porque a vida não é certa. Nada do nosso dia a dia é certo! O que é certo mesmo é que temos que viver cada momento, cada segundo, amando, sorrindo, chorando, emocionando-se, pensando, agindo, desejando, conseguindo... Só assim, é possível chegar àquele momento do dia em que dizemos: “Graças a Deus deu tudo certo”, embora eu acredite que, tudo o que Ele quer, é que a gente encontre a pessoa errada para que as coisas comecem a realmente funcionar direito em nossa vida...

     


    E já que estamos falando de relacionamentos, Martha Medeiros também quer nos ajudar. Se alguma das situações sugeridas a seguir não for a sua, talvez ela sirva como parâmetro, para que você possa orientar alguém de sua família, ou de seu relacionamento.

     


    “Para meus amigos que estão... Solteiros. O amor é como uma borboleta. Por mais que você tente pegá-la, ela fugirá. Mas quando menos esperar, estará ali do seu lado. 

     


    O amor pode lhe fazer feliz, mas, às vezes, também pode lhe ferir. Ele será especial apenas quando você tiver o objetivo de se dar somente a um alguém, que seja realmente valioso. Por isso, aproveite o tempo livre para escolher.

     


    Para meus amigos... “Não solteiros”. Amar não é se envolver com a “pessoa perfeita”, aquela dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas na vida real. Encare a outra pessoa de forma sincera, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.

     


    Para meus amigos que gostam de... ‘Relacionamentos sem compromisso’. Nunca diga “lhe amo”, se a pessoa não lhe interessa. Nunca fale sobre sentimentos, se estes não existem. Nunca toque numa vida, se não pretende ferir um coração. Nunca olhe nos olhos de alguém, se não quiser vê-lo se derramar em lágrimas por sua causa. A coisa mais cruel que uma pessoa pode fazer é permitir que alguém se apaixone por ela, quando não pretende fazer o mesmo.

     


    Para meus amigos... ‘Casados’. O amor não lhe faz dizer “a culpa é sua”, mas dizer “perdoe-me”. Compreender o outro, tentar sentir as diferenças, colocar-se no seu lugar. Diz o ditado, que um casal feliz é aquele feito de dois bons ‘perdoadores’. A verdadeira medida de compatibilidade não são os anos que passaram juntos, mas sim, o quanto, nesses anos, vocês foram bons um para o outro.

     


    Para meus amigos que têm um “coração partido”. Um coração assim dura o tempo que você deseje que ele dure, e se lastimará o tempo que você permitir. Um coração partido sente saudades, imagina como seria bom, mas, não permita que ele chore para sempre. Permita-se rir e conhecer outros corações. Aprenda a viver, a amar as pessoas com solidariedade, a fazer coisas boas, a ajudar os outros, aprenda a viver sua própria vida. A dor de um coração partido é inevitável, mas o sofrimento é opcional! Talvez seja melhor ver alguém que você ama, feliz, com outra pessoa, do que vê-lo infeliz ao seu lado.

     


    Para meus amigos que são... “Inocentes”. A outra pessoa se apaixonou, e você não teve culpa... Pense que poderia ter acontecido o contrário. Seja sincero, mas não seja duro; não alimente esperanças, mas não seja crítico; você não precisa namorá-la, mas pode descobrir que ela é uma ótima pessoa e pode vir a se tornar um grande amigo ou amiga.
     

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus