• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    10/09/2019 08h43 - Atualizado em 10/09/2019

    Flutuação em águas cristalinas

    Cidade é uma espécie de versão rústica de Bonito, no Estado vizinho de Mato Grosso do Sul, com rios límpidos repletos de peixes

    Priscila Mengue - Especial para a Folha

    Águas de uma transparência azulada, que permitem a contemplação de peixes coloridos, são o principal atrativo do distrito de Bom Jardim, em Nobres, a cerca de 2 horas de Cuiabá. Por vezes comparada a Bonito, a região tem uma estrutura mais rústica, quase caseira, e aposta nos passeios de flutuação.

     


    Começamos o dia na cidade com um almoço seguido de uma breve sesta em redes de couro e madeira, enquanto aguardávamos o passeio no Reino Encantado. Antes de fazer a flutuação no Rio Salobra, pusemos colete salva-vidas, uma bota especial e pegamos o snorkel e os óculos de mergulho. Filtro solar e repelente são proibidos, para não contaminar o rio.

     


    As águas são límpidas, azuis-turquesa. Ao entrar, já percebemos que são menos geladas do que a das cachoeiras da Chapada dos Guimarães, mas enfrentamos outro desafio: não colocar o pé no chão durante a flutuação. Para não deixar a água turva, disputamos espaço sobre troncos enquanto tentávamos nos equilibrar para uma foto em grupo.

     


    Logo na entrada, os funcionários jogaram ração para atrair os peixes. Depois, o passeio seguiu o curso do rio, que nos levava quase naturalmente pelo caminho, sem exigir esforço, mas dificultando algum retorno para um ponto que chamasse a atenção

     


    Com o rosto para fora da água, conseguimos observar melhor a vegetação no entorno do rio e evitar trapalhadas com troncos. Mas a graça é usar o snorkel e os óculos para procurar os peixes, que são de tamanhos e cores distintos.

     

    O passeio pelo Aquário Encantado é bem semelhante. As principais diferenças são que a trilha segue por um caminho repleto de macacos-prego e, eventualmente, alguns quatis. Além disso, os funcionários costumam jogar milho para atrair os peixes, que tentam transportar os grãos na boca.

     


    Ambas as opções de flutuação custam R$ 90. Em Nobres, o ingresso para os atrativos é comercializado exclusivamente por agências de turismo, isto é, não adianta ir diretamente até a atração turística.

     

     

    Pôr do sol

    Hospedados em Bom Jardim, saímos da pousada de quadriciclo até a Lagoa das Araras. O caminho é tranquilo e passa ao lado de um terreno de pastagem de gado. A condução pode ser feita até por quem não sabe dirigir, após um breve treinamento. O custo é de R$ 120 por pessoa, por 1h30.

     

    A trilha até a lagoa é curta e autoguiada. Lá, encontramos dois deques, dos quais observamos o entardecer e o retorno de mais de uma dezena de araras até os ninhos - feitos no topo de buritis, palmeiras que chegam a ter 30 metros de altura. A entrada custa R$ 20 e também precisa ser comprada em agência.

     

    Além de Nobres, visitamos também o Sesc Serra Azul, que leva o nome de sua principal atração: uma cachoeira de 46 metros de altura. O acesso até a queda d’água é por uma escadaria de mais de 400 degraus. Embora o número assuste, os degraus são baixos e apenas uma parte do trajeto é de subida. A entrada na cachoeira pode ser feita apenas com colete de flutuação e o ingresso inclui ainda óculos para contemplação dos peixes.

     

    Da cachoeira, é possível fazer parte do trajeto de regresso por uma tirolesa de 700 metros de extensão e 50 metros de altura. A descida passa pela copa das árvores, aterrissando em campo aberto. A tirolesa custa R$ 60, enquanto a flutuação na cachoeira tem o preço de R$ 80. Há, ainda, um pacote combinado das duas por R$ 130, com desconto para comerciários, além de opções de cicloturismo e arvorismo. Ali também é preciso comprar o ingresso nas agências da cidade. 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus