• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    09/09/2019 11h30 - Atualizado em 09/09/2019

    "The Good Doctor" traz alívio, diz ator

    Personagem neuroatípico foi criado a partir de pesquisas: série é para todas as pessoas que já se sentiram diferentes. ?O programa fala sobre a potência humana?, afirma highmore

    Inspirada em série homônima sul-coreana, The Good Doctor conta a história de um médico raro. Portador de autismo e síndrome de Savant, Shaun Murphy (Freddie Highmore) é jovem extremamente talentoso e capaz de fazer diagnósticos impossíveis. Isso não impede, no entanto, que sua capacidade seja colocada à prova a todo momento.

    A história de Shaun começa muitos anos antes de sua chegada ao prestigiado Hospital San Jose St. Bonaventure. Ainda pequeno, foi vítima de bullying na escola. Em casa, o pai o criava com métodos abusivos, que escalaram até o assassinato de seu coelho de estimação. Então aos 14 anos, Shaun fugiu de casa e passou a viver em um ônibus abandonado com seu irmão, Steve, morto um pouco depois enquanto brincava em um prédio antigo.

    Apesar dos elementos dramáticos, The Good Doctor não é uma série sem fé na humanidade. Para o intérprete de Shaun, Freddie Highmore, o programa é, na verdade, “cheio de esperanças”. Em entrevista coletiva concedida a jornalistas da América Latina, o ator afirmou que The Good Doctor é um refresco para o público, em uma época em que muitas séries focam na “negatividade”.

    “O que eu mais gosto em Shaun é que ele é um personagem esperançoso, feliz, alegre. Nós não precisamos entrar tão fundo nas adversidades que ele enfrenta, porque o otimismo dele é refrescante”, afirma. “Eu sou bem mais cínico do que ele, mas acredito que o programa faz de mim uma pessoa muito melhor”, brinca.

    A construção do personagem não foi uma tarefa fácil, afirma o ator. Além de autismo, Shaun é portador de síndrome de Savant, condição psíquica que une grande habilidade intelectual e déficit de inteligência. Uma das características da síndrome, por exemplo, é uma memória extraordinária, acompanhada de dificuldade para compreender algo que está sendo descrito.

    No caso de Shaun, a síndrome de Savant é uma bênção e uma maldição. Por causa dela, o médico é capaz de identificar padrões e fazer diagnósticos improváveis, mas corretos – e capazes de salvar vidas. “Eu me preparei muito para interpretar o personagem”, afirma Highmore. “Nós fizemos pesquisas no campo da literatura e assistimos a vários documentários.”

    O ator destaca, no entanto, que nem tudo está representado na série. “Todos nós queremos tornar o programa o mais genuíno possível, mas ao mesmo tempo uma série nunca conseguirá representar todo um universo”, explica. “Há diferenças entre as jornadas pessoais, e um programa que tenha um personagem neuroatípico jamais representa todos os neuroatípicos do mundo”, afirma.

    Highmore diz se sentir honrado com o papel de Shaun. “Personagens como ele são importantes, e também conversam com outros que eu fiz. Ele foge de estereótipos como, por exemplo, o da masculinidade”, explica ainda.

    Highmore interpretou previamente os personagens Norman Bates, na série televisiva Bates Motel (2013), Charlie Bucket, em A Fantástica Fábrica de Chocolate (2005), e Peter Llewelyn, no filme Em Busca da Terra do Nunca (2004).

    O ator afirma esperar que The Good Doctor seja um ponto de partida para mais discussões sobre o espectro autista. “É um programa que faz o público ir mais fundo na condição, ajuda a entender as pessoas”, afirma. “Mas, de certa forma, ele fala sobre todo mundo que já se sentiu diferente de alguma forma e tem a chance de se provar. É uma série sobre o potencial humano.”

    A primeira temporada da série chegou, primeiro, no canal GNT e agora está em cartaz às quintas na Rede Globo (depois de The Voice Brasil) e estará também no canal Sony, aos domingos, a partir das 21h.

    The Good Doctor bate números significativos de audiência. Em maio, o International TV Audience Awards elegeu a série como o drama mais visto da TV em todo o mundo. Em 2017, quando estreou no exterior seu terceiro episódio, The Good Doctor já havia atingido 18.2 milhões de espectadores só nos Estados Unidos. Criada por David Shore, que assina a série House, The Good Doctor se soma a um numeroso grupo de séries médicas, como Greys Anatomy e Sob Pressão.

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus