• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    27/08/2019 08h38 - Atualizado em 27/08/2019

    Cinema além dos blockbusters

    CINÉFILOS TÊM ESPAÇO PARA FREQUENTAR, EM MADRI, COMO BARES, RESTAURANTES, LOCAIS DE REFLEXÃO E AS TRADICIONAIS SALAS DE CINEMA

    Bruna Toni - Especial para a Folha

    Bares antigos e descolados, muita gente na rua, lojas de roupa vintage, faixas de movimentos sociais. Poderia ser o boêmio bairro de Malasaña, mas esse tem nome de escritor: Tirso de Molina. Trata-se de um dos mais importantes autores espanhóis do século 16, criador de um personagem conhecido e sedutor: Don Juan.


    Passei por ali mais de uma vez durante a semana em Madrid. Numa delas, encontrei a Sala Equis (salaequis.es), que à primeira vista, com um letreiro antigo e um espaço de garagem à frente, não parecia convidativa. Depois da porta abaixo do letreiro, contudo, abriu-se um enorme galpão iluminado por luz natural, com plantas correndo as paredes de concreto, cadeiras de praia e guarda-sóis, sofás e um bar-restaurante.


    Inaugurada no fim de 2017, a Sala Equis se define, muito precisamente, como “praça coberta de cultura”. Isso porque, além das salas de cinema que exibem filmes selecionados de acordo com cada ciclo mensal de debate e reflexão, possui essa área para encontros e eventos, comes e bebes.

    Da aristocracia ao alternativo

    Houve uma época em que grandes salões eram o espaço de lazer da alta sociedade. Um desses salões era o Cine Doré (bit ly/agendacinedore), aberto em dezembro de 1912 na Rua Santa Isabel, com uma sala teatral para 1.250 pessoas e arquitetura modernista.
    No centro de Madrid, bem próximo à estação Antón Martín, sua fachada em tom rosa alaranjado de 1923, chama a atenção. Ali são apresentadas películas históricas ao preço médio de 3 euros.
    Hoje o local faz o tipo alternativo, frequentado por cinéfilos e fãs de longas antigos, mas segue movimentado a semana toda. Tem três salas de exibição: a suntuosa do início do século, reformada; outra mais moderna e o terraço onde há sessões ao ar livre no verão.

    SERVIÇO SALA EQUIS

    Distância a partir do Prado: 1,4 km (18 minutos de caminhada).
    O que fazer: ver filmes, participar de debates, comer e beber.

    CINE DORÉ

    Distância a partir do Prado: 900 m (13 minutos a pé).
    O que fazer: assistir a filmes da Filmoteca Espanhola.
    O que tem perto: Entre os dois cinemas estão a Feira do Rastro (Rua de la Ribera de Curtidores), feira de rua dominical com antiguidades, roupas, brinquedos e outros itens interessantes - começa cedo e vai até 15h - e os mercados de la Cebada e Anton Martin, com arte e comida fresca à venda. 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus