• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    20/08/2019 08h17 - Atualizado em 20/08/2019

    Correndo pelo Jalapão

    corrida de 10 km tem como cenário paisagens repletas de cachoeiras e piscinas naturais do Parque Estadual

    Viviane Jorge - Especial para a Folha

    Correr 10 quilômetros? Se você estiver treinado e se for no asfalto liso, tranquilo. Na esteira, com ar condicionado, fica ainda mais fácil. Mas e se essa corrida for realizada em um cenário inóspito e de natureza selvagem no coração do Brasil? Esse foi o desafio que me propus a encarar: participar de uma corrida para atletas amadores em pleno Jalapão, no Tocantins. Uma oportunidade de unir duas paixões: viajar e correr.


    De acordo com o estudo State of Running, realizado pelo site RunRepeat.com, em parceria com a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), nos últimos dez anos, houve um aumento de 57% nas corridas no mundo inteiro (embora nos últimos dois anos esse número tenha caído nos Estados Unidos e na Europa). O estudo englobou mais de 107 milhões de resultados de corridas obtidos em 70 mil eventos entre 1986 e 2018.


    Observou-se também que a participação de mulheres nunca foi tão grande: em 2018, elas ultrapassaram o número de homens corredores e correspondem 50,24% dos competidores. A idade média dos corredores também aumentou: de 35 anos em 1986, saltou para 39 no ano passado.


    E, por fim, constatou-se que viajar para correr é uma tendência global. Foram monitoradas apenas viagens internacionais realizadas no mundo inteiro: houve um salto de 0,2% para 3,5% nas viagens para maratonas e de 0,2% para 1,4% nas viagens para corridas de 10k.


    No Brasil, há diversas agências especializadas em organizar viagens variadas para corredores (embora você também possa se inscrever por conta própria na maioria das provas). Isso inclui as corridas na Disneyworld, em Orlando, para a Patagônia argentina ou para maratonas de grandes cidades como Paris, Barcelona ou Berlim.


    Mas também há opções no Brasil. A prova do Jalapão foi minha primeira fora das ruas de São Paulo desde que decidi, há dois anos, colocar a corrida na minha rotina. Já havia participado de outras mais longas, de 16 quilômetros, mas nada tão desafiador - afinal, o solo e o clima interferem na performance do corredor.


    A viagem em si foi uma verdadeira maratona: apenas quatro dias para explorar as belezas da região e correr pelas paisagens de solo vermelho e horizonte verde que encantam os viajantes. Ainda assim, deu para conhecer alguns dos principais atrativos do destino - e voltar para casa com as energias renovadas depois de flutuar nos fervedouros, boiar em piscinas naturais e ser massageada por cachoeiras. Não gosta de correr? Tudo bem: você também pode percorrer esses lugares sem nenhuma pressa.

     

    Bota pra Correr

    Organizado pela Olympikus, o evento tem o objetivo de levar atletas amadores para participar de corridas em pontos turísticos do Brasil. Os participantes podem escolher entre os circuitos de 10 km ou 21 km. A próxima etapa, no Pantatal, será em 28 de setembro.

     

    A largada e a partida serão na APA da Baía Negra, em Ladário, vizinha a Corumbá (MS). As inscrições estão abertas e custam R$ 250, com kit corredor (inclui copo de silicone dobrável, viseira e camiseta) e transfer para o ponto de largada a partir do Porto de Corumbá. Em 16 de novembro, a corrida será em Alter do Chão (PA).


    A Rio Running Tour é uma agência que leva para conhecer os principais pontos turísticos do Rio não andando, mas correndo. Há circuitos com propostas e níveis de dificuldade variados - é possível, por exemplo, correr pela orla, na zona sul (moderada, 10 km) ou pela Lapa e Sambódromo (leve superior 5 km).

     

    Outra opção é correr em cenários naturais, como a Pedra Bonita (moderada, 12 km) ou pela Praia do Meio e Praia Funda (moderada, 9 km). Os tours são privativos (R$ 190) e também podem ser personalizados para o corredor, embora haja grupos abertos esporádicos. As explicações sobre os lugares ocorrem durante a corrida e há paradas para fotos. 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus