• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    12/08/2019 09h46 - Atualizado em 12/08/2019

    Passo a passo para vender seu imóvel

    LIMPEZA, MANUTENÇÃO E PREÇO SÃO OS ASPECTOS QUE MAIS INFLUENCIAM PARA O ACEITE NO MOMENTO DE VISITA DO POSSÍVEL COMPRADOR

    A venda dos imóveis costuma envolver muitos detalhes que vão desde a apresentação do bem até a documentação.

     

    É um processo que exige dedicação, disponibilidade de tempo e bastante conhecimento técnico. Justamente por isso, a maioria das pessoas conta com a ajuda de um profissional para intermediar a negociação. Saiba qual é o passo a passo para vender um imóvel.

     

    É possível vender um imóvel por conta própria e há riscos diante do proprietário não ter conhecimento de todos os detalhes dessa negociação de alto valor.

     

    A contratação e o pagamento de um intermediário é recomendada por prestar a consultoria dessas especifidades, conexões e disponibilidade

     

    . “A contratação de um corretor ou uma imobiliária é importante pelo fato de que o profissional é um especialista, que normalmente tem conhecimento na região que trabalha.

     

    E ele vive na prospecção de clientes, de domingo a domingo, e evidentemente é mais fácil o corretor encontrar um comprador do que um proprietário, que não tem esse tipo de prospecção ou de disponibilidade.

     

    Sem contar o conhecimento técnico que é necessário”, afirmou José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP).



    Anúncio

    A internet é o principal local de buscas e oferta de imóveis nos dias atuais.

    Os portais imobiliários costumam oferecer um grande volume opções de imóveis em poucos cliques e também muitas informações como localização, fotos, tamanho, número de quartos, banheiros e outros dados que auxiliam em uma seleção e economia de tempo.

    “É importante fazer boas fotos, que representem a realidade porque o possível comprador vai acabar visitando o imóvel e vai esperar o que viu nas imagens”, pontuou José Augusto Viana.

    É preciso ainda cuidado ao anunciar um imóvel em que o proprietário ainda reside. “É questão de segurança.

    Se a venda for feita pelo proprietário, ele pode usar o local do trabalho como um contato, por exemplo, para fazer uma triagem de quem vai visitar o imóvel. Se a negociação é feita por meio de um corretor, ele chega com o cliente e identifica quem está entrando no imóvel”, acrescentou.

     

    Limpeza

     A limpeza é um detalhe que passa desapercebido para muitos e fazem a diferença para quem está interessado em adquirir o imóvel.

    “Quem vai vender, deve fazer uma faxina extra, daquelas que só se faz uma vez por ano. O interessado tem que entrar no imóvel e perceber, a primeira impressão é importante”, disse o presidente do Creci-SP.

    Além disso, alguns cuidados podem evidenciar as qualidades da propriedade. “Mantenha o imóvel arejado, abra as janelas, deixe a luz e o ar entrarem.

    Faltando cinco minutos para a chegada do interessado, vale fazer um cafézinho para deixar um cheiro gostoso no apartamento, ou asse um bolo de laranja porque a pessoa chega e sente um cheirinho de casa.

    São coisinhas insignificantes que geram um efeito psicológico muito grande”, complementou.

     

    Manutenção

     O capricho vale para todos os detalhes e deixar o imóvel em boas condições, limpo e organizado pode ampliar o desejo em quem tem interesse em comprar.

    “A pessoa entra e vê uma lajota quebrada, pode pensar que a laje está com problemas e gerar diversos receios. Outro exemplo, limpar os interruptores de luz encardidos, retirar móveis velhos e quebrados. Muitas vezes, o proprietário não percebe que está sujo ou feio. É importante ter uma visão crítica”, explicou José Augusto Viana Neto.

     

    Visitas

     As visitas são momentos cruciais para a venda. Caso alguém esteja morando no imóvel , é importante adequar a rotina da casa para que o possível comprador tenha mais interesse.

    “Quando marcar a visita, tem que ser um um horário que não tenha mais ninguém dormindo ou ocupando os ambientes.

    Isso porque não é bom pedir para o interessado em comprar esperar alguém acordar ou sair do banho para poder ver um cômodo”, ressaltou o presidente do Creci-SP.

     É importante também prestar atenção aos pets. “Se tiver cachorro, por exemplo, o ideal é prender ou levar para passear na hora da visita. Há pessoas que tem medo. No fim, elas não prestam atenção no imóvel”, complementou.

     

    Reforma

     É fundamental deixar um aspecto bom no imóvel com armários e pisos conservados, paredes limpas ou até uma pintura recente.

    Há situações que uma reforma é importante para destacar ou valorizar mais ainda o imóvel. Para isso, é importante que o proprietário entenda o que é realmente necessário.

    “Em alguns casos, é melhor pegar o dinheiro que vai gastar na reforma e deixar para dar um desconto na hora que o comprador estiver em dúvida. Assim, há a redução do valor desejada pelo comprador e não terá a dor de cabeça de lidar com uma reforma. Outro ponto é que possibilita que a reforma seja dentro do gosto do comprador. Há casos que a reforma não agrada ao cliente e acaba atrapalhando”, ressaltou José Augusto Viana Neto.


    Preço

    É fundamental que o imóvel esteja com preço correspondente ao mercado para agilizar a venda. Afinal de contas, quanto mais se demora a vender, mais dinheiro se perde por haver custos com o imóvel (condomínio, IPTU).

    O ideal é envolver um corretor para conseguir uma análise do valor de mercado do imóvel. “É interessante solicitar ao corretor para fazer um parecer técnico de avaliação mercadológica.Em troca, o proprietário dá exclusividade na venda por um período determinado, por exemplo. Desta forma, ele vai conseguir uma avaliação profissional e vai ter um vendedor trabalhando exclusivamente para ele. Decorrido o prazo estabelecido, o proprietário pode procurar outros corretores, pode abrir para o mercado”, sugeriu.

     

    Documentação

    A documentação é extensa, exige conhecimento sobre o assunto e gera muitas dúvidas em um processo normal e pode haver ainda variáveis. “Vamos considerar a hipótese do imóvel ser de um casal e vamos supor que o marido tenha uma empresa e a esposa uma loja.

    Quem vai comprar vai precisar de todas as certidões de cada membro do casal e, consequentemente, das empresas deles.

    Além disso, vai precisar levantar a certidão na prefeitura para fazer o levantamento de débitos junto ao órgão, a declaração condominial, além de analisar se o condomínio está respondendo alguma ação trabalhista, se tem alguma reforma prevista no prédio, para que o futuro proprietário não precise arcar com débitos anteriores.

    Então, é possível que um proprietário não se lembre de tomar todas as providências e um profissional sabe o que fazer”, reforçou.


    O ideal é providenciar toda a documentação antes mesmo de o possível comprador aparecer porque agiliza o processo de venda.

    “É importante deixar tudo pronto porque ele vai poder comprovar aos eventuais interessados. Isso tem uma importância grande, mostrar que está tudo regularizado. Essa proatividade surte um efeito positivo, até porque é difícil encontrar um imóvel que esteja com tudo regularizado. Então ter os documentos em mãos é uma vantagem”, concluiu José Augusto Viana Neto.

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus