• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    06/08/2019 11h41 - Atualizado em 06/08/2019

    Opinião: O padroeiro e a saúde pública

    O dia de hoje é mais do que especial para os passenses. É dia do nosso padroeiro Senhor Bom Jesus dos Passos. Com muita fé, vamos agradecer por tudo de bom que temos conquistado. Estamos vivos e isso é tudo. Viva o Senhor Bom Jesus!

    A paróquia Senhor Bom Jesus dos Passos celebra missa agora, às 8h, e, à tarde, às 15h, tem a missa da Misericórdia; às 18h, tem a procissão, seguida de missa solene. Hoje também é o último dia para a turma curtir a Quermesse do Padroeiro, que teve início na última sexta-feira.

    Na parte musical, o experiente DJ Spock comanda a festa. Na área espiritual, o padre Sandro é quem está serenamente dirigindo todo o evento.

    O destaque da festa do padroeiro este ano é que todas as celebrações estão sendo transmitidas ao vivo pelo Facebook - são as redes sociais facilitando o acesso às coisas sagradas.

     A cidade de Passos vive um feliz momento. O município viveu, intensamente, esses dias, o Terceiro Festival Nacional de Teatro. Já no próximo dia 16, teremos o 13° Passos Motorcycles e, a partir do dia 28, teremos a 3ª edição da Flipassos (Feira de Literatura de Passos).

    O bom momento da nossa cidade contrasta com a triste situação da saúde pública em nosso país. A grave crise econômica dos últimos anos levou à redução significativa dos recursos destinados à saúde, e os efeitos disso são notados no aumento de casos de várias doenças.

    Para termos uma ideia em relação ao quadro da saúde pública no país, basta vermos os números da dengue. Apenas nos primeiros seis meses do ano, o Brasil já havia contabilizado mais de 600 mil casos confirmados.

    A dengue é apenas uma doença. O mesmo mosquito transmissor também espalha a febre amarela, chikungunya e a zika. É mais que urgente todos fazermos a nossa parte para superarmos esse quadro.

    Por incrível que pareça, os Estados de Minas Gerais e São Paulo são onde a doença mais cresceu. A mídia não vem, talvez intencionalmente, dando a devida cobertura a esse grave problema. Além das doenças que podem ser transmitidas pelo mosquito, outros males também estão fora de controle por parte das autoridades. A hanseníase e o sarampo, por exemplo, estão acima dos padrões estabelecidos por autoridades internacionais de saúde.

    Os responsáveis pelo núcleo de Zoonoses de Passos precisam estar atentos. O clima frio dos últimos meses inibe a propagação do mosquito. Porém, logo, logo, o calor deve voltar ao Brasil e, com isso, a dengue deve aumentar ainda mais.

    O aumento da pobreza no Brasil e a consequente falta de saneamento básico são fatores que contribuem muito para a explosão da dengue e outras doença. Portanto, tanto o poder público como a população em geral devem unir esforços e ações para tentar frear essa epidemia. Um estudo realizado por uma importante revista científica informa que, até o ano de 2080, o mundo deve registrar seis milhões de casos de dengue. Todos somos possíveis vítimas, portanto, vamos fazer nossa parte.

    PAULO NATIR é Jornalista

    OS RESPONSÁVEIS PELO NÚCLEO DE ZOONOSES DE PASSOS PRECISAM ESTAR ATENTOS
      

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus