• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    03/08/2019 06h00 - Atualizado em 02/08/2019

    Preço do gás de cozinha deve cair até 12%

    RIO - O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou que a Petrobras vai reduzir o preço do GLP Residencial (embalagens até 13 kg) entre 6,5% e 12%, e do GLP Empresarial entre 11% e 17%, dependendo da localidade.
     
    A redução passa a valer a partir de segunda-feira, informou o Sindigás, que foi comunicado nesta sexta-feira pelas empresas associadas sobre a redução.
     
    De acordo com a entidade, o ágio praticado pela Petrobras está em cerca de 31% em relação ao preço do mercado internacional, “o que vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial empresas que operam com uso intensivo de GLP”, afirmou o Sindigás em nota.
     
    Gaspetro
    A Petrobras está em negociações com a japonesa Mitsui sobre a venda da participação de 51% que tem na Gaspetro, já que a companhia tem o direito de preferência a ser exercido após comprar, em 2015, 49% da estatal. Segundo o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, apesar de não ter sido ainda definido o modelo de venda, a estatal sairá totalmente da Gaspetro. “Ou vendemos nossos 51% ou nossas participações nas distribuidoras”, disse, em coletiva, para falar do balanço do segundo trimestre de 2019.
     
    A Gaspetro está presente em 19 distribuidoras de gás, localizadas em todas as regiões do país. É sócia da GasBrasiliano, localizada no noroeste de São Paulo, e da Ceg, no Rio de Janeiro.
    Segundo a diretora de Refino, Anelise Lara, a expectativa é sair totalmente dos setores de transporte e distribuição de gás natural em dois anos. “A expectativa é que até o fim de 2021 a gente tenha resolvido todas as questões: sair 100% do transporte, 100% da distribuição, para focar na produção e comercialização do gás”, explicou Lara. 
    Matéria exclusiva para assinantes

    Faça já a sua assinatura, tenha o jornal impresso em sua casa ou dê de presente para quem você gosta e ganhe o acesso nas páginas digitais pela internet, ou seja: Versão Impressa + Digital.

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus