• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    18/07/2019 09h01 - Atualizado em 18/07/2019

    Lançamento ao som do tantã e do pandeiro

    "Bom Sucesso", próxima novela das sete, foi lançada na última segunda-feira no Rio de Janeiro, em um dos principais redutos do samba carioca, no bairro da Lapa, no Rio Scenarium

    Cada um tem um jeito único de celebrar a vida, mas um lugar especial, embalado por música, boa comida e companhias únicas ninguém costuma dispensar. E, em plena segunda-feira, menos ainda. É assim que ‘Bom Sucesso’, próxima novela das sete, foi lançada, em um dos principais redutos do samba carioca, no bairro da Lapa, no Rio Scenarium. A novela, que leva ao público uma história que fala sobre valorização da vida, foi celebrada com samba, ao som do grupo Fundo de Quintal.
    Durante o evento foi exibido um clipe com imagens inéditas da obra e os autores Rosane Svartman e Paulo Halm falaram sobre o sentimento que querem despertar no público com esta história. “É sobre prestar atenção, mesmo diante de um cotidiano massacrante, nas coisas importantes que você pode passar batido como um abraço em quem se ama, elogiar alguém, a troca e perceber o outro. Quando você começa a perceber essas pequenas coisas vive melhor, começa a abrir janelas. Uma novela é um grande diálogo com a sociedade. A gente quer que as pessoas pensem sobre suas vidas, sobre ter fé, não ter fé. Eu quero conversar, dialogar, nunca impor uma ideia”, disse Rosane. “´Bom Sucesso’ quer lembrar que a vida é pra ser vivida a cada minuto, que cada momento é precioso. É uma novela alto astral. A gente vai falar sobre morte, mas como um hino à vida, com uma mensagem para você viver sem medo, temores ou receios, com coragem”, Paulo complementou.
    O diretor artístico Luiz Henrique Rios ainda comentou sobre a intenção de contar uma narrativa que faça o público se identificar: “Sem identificação não há torcida, não tem comunicação. O caminho para conquistar isso passa pela sinceridade e simplicidade. Não acredito em personagens que não busquem isso, ainda mais numa história como essa, basicamente sobre o cotidiano das pessoas no mundo. Você só torce pela salvação de alguém que vai morrer, se tem alguma empatia por ele, então, a construção da empatia é fundamental”.
    Grazi Massafera, que interpreta a protagonista Paloma, estava radiante com a oportunidade de interpretar uma personagem que lhe é tão familiar. “Ela me remete a uma mulher que eu também sou. Eu volto para esse lugar de pé no chão, de povo, de público, do popular, da vivência do cheiro da máquina de costura, daquele barulho que fica na minha cabeça desde a infância”, contou a atriz, que é filha de costureira: “Minha mãe Cleusa fazia minhas roupas no corpo”.
    Na novela, Paloma é uma mulher batalhadora, solar e sonhadora que mora em Bonsucesso, no subúrbio do Rio de Janeiro, e cria os três filhos sozinha. Depois de ser vítima de uma troca de exames, tem sua vida virada do avesso ao acreditar que possui só mais seis meses de vida. Isso a levará a conhecer Alberto (Antonio Fagundes), dono da editora de livros Prado Monteiro. Eles constroem uma amizade capaz de dar um novo significado à vida de ambos, tendo como elo principal a paixão em comum pela literatura.
    O universo dos livros também é bastante familiar ao intérprete de Alberto, Antonio Fagundes. Ele destacou o prazer de integrar uma novela que dá tanto valor à leitura: “Acho que é importante falar sobre vários assuntos, principalmente esse, ainda mais num universo em que uma grande parte da nossa população é analfabeta. E a televisão vem preencher, de certa forma, o vácuo da leitura no Brasil. E as nossas estatísticas são terríveis”.
    A convivência entre Paloma e Alberto, que vêm de mundos diferentes, e as novas experiências que protagonizam vão afetar a todos que os rodeiam. Especialmente dois homens apaixonados por ela: Ramon (David Junior), pai de sua primogênita e o amor que ela conhece desde muito jovem, e Marcos (Romulo Estrela), filho de Alberto e uma paixão arrebatadora e inesperada. “O reencontro deles se dá porque Paloma liga para o Ramon, diz que está morrendo e que ele foi o único amor da vida dela. Mas ele mora nos Estados Unidos e tinha acabado de conseguir um cargo de técnico do Chicago Bulls e larga tudo, voltar para cuidar dela”, David Junior falou. “O Marcos é um cara apaixonado pelos encontros da vida, que é o que acontece com ele a Paloma. Ele tem muita curiosidade de saber quem é essa mulher, porque ela o toca tanto”, disse Romulo Estrela.
    Ingrid Guimarães dá vida à extravagante atriz Silvana Nolasco, protagonista da novela fictícia ‘Precipício do Amor’, e declarou estar se divertindo com a metalinguagem presente na obra: “É maravilhoso, divertidíssimo, é uma brincadeira que eu sempre fazia na infância, é o brincar de fazer novela”.
    ‘Bom Sucesso’ é escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, e tem direção artística de Luiz Henrique Rios e direção geral de Marcus Figueiredo. 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus