• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    12/07/2019 10h30 - Atualizado em 12/07/2019

    A prova de riso na famosa escolinha

    Sucesso desde a primeira leva de episódios, a reedição do clássico humorístico traz novidades no elenco e nos cenários, que homenageiam a edição original do programa com volta dia 28, na Globo

    Os alunos mais amados do Brasil estão de volta na quinta temporada da Escolinha do Professor Raimundo, que estreou no Viva, e no próximo dia 28, na Globo, depois do Esporte Espetacular. Sucesso desde a primeira leva de episódios, a reedição do clássico humorístico traz novidades no elenco e nos cenários, que homenageiam a edição original do programa. Como o refeitório, a sala da direção e a sala de artes, esta última comandada por Capilé Sorriso (George Sauma). Já os novatos da turma do Professor Raimundo (Bruno Mazzeo) são João Canabrava (Marcos Veras), Mazarito (Leandro Hassum), Suppapou Uaci (Welder Rodrigues) e Seu Fininho (Paulo Vieira).
    “A primeira coisa que fizemos foi reunir o elenco que já estava. Pedi para todos apresentarem as ideias que achavam legais para essa nova fase e levei algumas também. Coloquei tudo em votação: quem a gente achava que poderia entrar na Escolinha e os nomes do Welder, do Paulo, do Veras e do Leandro surgiram. Mas o Otávio Müller já tinha dito o nome do Leandro antes, assim como o próprio já havia pedido para a Cininha”, conta Marcius Melhem, que, além de interpretar o Seu Boneco, também é supervisor artístico da produção.
    Neste novo ano “letivo” do seriado, os novatos se juntam ao elenco anterior. Sem falar das participações especiais de antigos alunos, que prometem emocionar quem assistiu à primeira versão. Uma delas é a de Orlando Drummond, o eterno Seu Peru. “É muito, muito emocionante a gente receber uma homenagem de quem a gente está homenageando. E não é uma pessoa qualquer. É um cara de 99 anos, que prova que a nossa arte não tem idade. O talento do ator vai até o fim da vida. São pouquíssimas as profissões que permitem que você trabalhe até os 100 anos. Se tiver o problema da memória, pode usar um ponto eletrônico”, relata Marcos Caruso, sobre a presença de Orlando em um dos episódios.
    Nizo Neto, que viveu o sabichão Ptolomeu na antiga versão, também contracena com Otaviano Costa. Da mesma forma, Pedro Bismarck se junta a Gui Santana para relembrar o icônico Nerso da Capitinga. Enquanto isso, a diretora Cininha de Paula tem a missão singular de interpretar a personagem da própria mãe, Lupe Gigliotti, que deu vida à inspetora Dona Escolástica. “Só agora entendi o que o Bruno (Mazzeo, filho de Chico Anysio) sente. É muito difícil a gente fazer pai e mãe. Pelo menos para mim, foi”, confessa Cininha, com lágrimas nos olhos.
    Cada comediante tem uma grande ligação com os personagens que homenageia na Escolinha do Professor Raimundo. Para Fabiana Karla, por estarem na quinta temporada, eles se apropriaram um pouco dos papéis e acrescentaram o próprio tempero na forma de fazê-los. Já Paulo Vieira ressalta a importância da liberdade que Cininha dá a eles no momento da gravação.
    “No nosso primeiro dia, alguém falou: ‘Por favor, silêncio’. Então, ela respondeu: ‘Silêncio nunca’. Acho que uma pessoa tem de ter muita sensibilidade para entender que o humor não se faz no silêncio. Em momento algum, ela poda a gente. Cininha deixa a cena acontecer e reina sobre a loucura”, elogia. 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus