• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    20/06/2019 05h00 - Atualizado em 19/06/2019

    A capital nacional dos móveis rústicos

    Nathália Araújo - Da Redação

    Além da beleza, durabilidade é a palavra que os fabricantes de móveis utilizam para descrever as principais vantagens para quem quer adquirir um móvel rústico.
     Produzidos com madeiras de construções demolidas, os móveis rústicos também carregam um histórico ecologicamente sustentável, já que sua fabricação reutiliza materiais.
    Após deixar o local demolido, a matéria-prima passa por uma lavagem, é restaurada e encerada para que, finalmente, possa ser um artigo de trabalho para as marcenarias que fabricam os móveis rústicos.
    Por conta de sua durabilidade, é possível que o móvel também passe por mudanças ao longo do tempo, sem que seja necessário adquirir um novo. Tintas, acessórios e muitas técnicas já existem para transformar totalmente uma peça e deixar o ambiente com novos ares. A restauração do móvel permite que o cliente consiga recriá-lo de acordo com seus desejos e, além de economizar evitando a compra de um outro artigo, deixa de descartar novos resíduos no meio ambiente.
    Fabricação tradicional

    Levi Alves Leonel, esse é nome da pessoa que trouxe a ideia dos móveis rústicos para Passos. O primeiro a produzir peças em todas as etapas da produção na cidade, foi também ele quem desenvolveu o acabamento queimado dos móveis, já que uma certa vez deixou uma peça próxima ao fogo. Inicialmente, o processo era realizado com um maçarico e depois encerado.
    Isomério Ferreira dos Reis, conhecido como Melinho, é um dos pioneiros na fabricação dos móveis rústicos passenses, já que seus produtos estão no mercado há mais de 40 anos. A ideia de dar início a esse tipo de trabalho surgiu junto ao seu falecido irmão, Inaldo Ferreira da Silva. Eles começaram a comprar as mercadorias na zona rural e revender para um cliente na capital paulista e, em seguida, passaram a fabricar modelos da mesma categoria.
    Ainda se destacando no setor, Melinho explica sua satisfação com o crescimento e reconhecimento que a cidade recebeu por conta desse setor produtivo. “Pra mim, é uma honra saber que somos tão respeitados e que a feira (Expo Móveis Rústicos) deu certo, isso mostra que nosso trabalho foi importante e contribuiu para que tudo acontecesse. Eu me orgulho muito de ter ajudado a começar isso tudo e espero que continue sempre crescendo”, revela.
    José Quirino e Odete Maria de Paula também são precursores do segmento dos móveis rústicos em Passos; o casal comprava peças e as restaurava para vender. Ao longo do tempo, e com os bons resultados dos negócios, passaram a produzir os próprios móveis.
    Benedito de Souza Paula é filho do casal e segue com o negócio que herdou dos pais. Proprietário de uma loja de móveis rústicos, o empresário relata sobre a evolução do processo de produção das peças. “A produção ainda é bem artesanal nos dias de hoje. Antigamente, produzíamos com a madeira tamburi, que vinha do Paraguai, depois passamos a usar a peroba e a madeira de demolição de casas do Paraná”, explica o moveleiro.
    Produzidos em peroba rosa, na maior parte das vezes, os móveis tão procurados não são criações recentes, uma vez que possuem raízes nas antigas fazendas que existem em nossa região e que abrigam mobílias totalmente tradicionais, além de lustres e pratarias. Ainda de acordo com Melinho, mesas e cadeiras são os itens mais procurados e nem sempre os clientes pedem por detalhes modernos no design, preferindo manter características que remetem aos móveis que eram utilizados antigamente.
    Apesar do apelo da tradição e do estilo que lembra os ambientes de tempos antigos, os móveis rústicos também se modernizaram e deixaram de compor apenas lugares como fazendas e chácaras, para se integrar a outros tipos de mobiliário. Os profissionais que atuam no ramo de decoração estão sempre atentos às tendências e procuram por produtos que sejam adequados para cada tipo de cliente, em relação à ambientação harmoniosa e à qualidade dos materiais. Por isso, os artigos do segmento de rústicos receberam características inovadoras e sofisticadas, como o uso de elementos em alumínio, inox, vidro e azulejos.

    Evento nacional

    A terceira edição da feira Expo Móveis Rústicos acontece entre os dias 27 e 30 do mês de junho, no Parque de Exposições Adolfo Coelho Lemos, em Passos. O evento, que foi planejado há mais de oito meses, oferece o que há de mais moderno e sofisticado no setor e atrai pessoas de diversos lugares do país, já que a indústria moveleira passense tem recebido cada vez mais destaque no mercado nacional e internacional.
    A feira foi idealizada pela Associação Comercial e Industrial de Móveis de Passos, a Acimov, em uma reunião de ações com o prefeito de Passos Carlos Renato Lima reis e o secretário municipal de Indústria, Comércio e Turismo, Frank Lemos Freire. Os idealizadores do evento também contaram com o apoio da Associação Comercial e Industrial de Passos (Acip). Em apenas dois anos de exposição, a cidade ficou conhecida como a “capital nacional dos móveis rústicos”, graças à qualidade e durabilidade do que é apresentado pelos produtores.
    Para engrandecer e chancelar a Capital Nacional dos Móveis Rústicos, para este ano uma parceria foi firmada com um grupo de arquitetos, que apresentarão mini-palestras voltadas para o uso da madeira de demolição em móveis, bem como atuarão na elaboração de layout dos estandes. O projeto com os profissionais ganhou força e caminha para uma mostra exclusiva, com móveis elaborados e assinados pelos arquitetos.
    A arquiteta e urbanista Tamires Pereira Marcelini faz parte desse grupo e detalha os benefícios dos móveis rústicos, considerando sua longa durabilidade e o seu design. “São peças únicas e exclusivas, já que a madeira de um, nunca será igual à de outro, além de ser um móvel que pode passar de geração para geração e dar continuidade à sua riqueza histórica. São peças que se encaixam perfeitamente em todo tipo de ambiente e, se bem trabalhadas, garantem um espaço cheio de charme, beleza, requinte e conforto em meio ao moderno”, destaca a profissional.
    A Expo Móveis Rústicos oferecerá diversas atividades para aqueles que participarão do acontecimento, como o Dia do Lojista, com uma agenda de relacionamento organizada pelo Sebrae, além de muitas dicas para a boa utilização dos móveis rústicos em casa. Durante os dias de feira, ainda acontecerá uma roda de conversa com um documentário que rememora toda a história do setor em Passos e a contribuição dos fabricantes pioneiros e dos atuais.
    Marcelo Silva Coimbra, fabricante de móveis e diretor de comunicação da Acimov, justifica como entende o progresso do setor moveleiro local: “Apesar das dificuldades de se empreender no Brasil, o que prevalece é o comprometimento de cada fabricante para entregar um produto de qualidade ao seu cliente, gerando credibilidade ao longo dos anos.
    Com móveis exibidos em reality shows, cenários de novelas, filmes e teatros e, ainda, com a exportação, o segmento vem se fortalecendo cada vez mais em Passos. O presidente da Acimov, Plínio Costa Andrade, relata que os bons resultados exigem muito esforço e dedicação até serem alcançados. “Estamos trabalhando há mais de oito meses, nos reunindo toda semana, para garantir que esta terceira edição da Expo Móveis Rústicos supere todas as expectativas do público!”, ressalta.
     

     

    Confira esta e outras matérias na nova edição do GR 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus