• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

       
    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    28/05/2019 09h28 - Atualizado em 28/05/2019

    Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no Brasil

    ACOMPANHAMENTO ANUAL COM O OFTALMOLOGISTA É FUNDAMENTAL PARA VERIFICAÇÃO DE ALTERAÇÕES NA PRESSÃO INTRAOCULAR, PRINCIPAL CAUSA DA DOENÇA

    O glaucoma é uma doença ocular causada, principalmente, pelo aumento da pressão intraocular, o que causa danos ao nervo ótico, trazendo como consequência o comprometimento da visão. É uma doença silenciosa em seus estágios iniciais e, se não for tratada adequadamente, pode causar perda da visão, sendo o principal motivo de cegueira irreversível no Brasil.
    De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, o glaucoma é responsável por 12,3% dos casos de perda da visão em adultos. A estimativa é que a doença atinja cerca de R$1 milhão de pessoas no Brasil. 80% dos casos são do tipo “glaucoma de ângulo aberto”, que possui evolução lenta, com perda gradual da visão.
    Segundo o oftalmologista cooperado da Unimed Sudoeste de Minas, Joaquim Costa Ribeiro do Valle, uma das principais formas de prevenção ao glaucoma é a realização do exame que verifica a pressão intraocular, chamado tonometria “ Como a doença não apresenta sintomas no início, é necessário um acompanhamento com o especialista para que possa ser verificada alguma alteração. De modo geral, indica-se uma consulta anual. Havendo uma suspeita, pode-se realizar outras exames complementares para fechar o diagnóstico, como o exame de campimetria, que avalia o campo visual, por exemplo”, acrescenta.
    Outros tipos de glaucoma podem ser relacionados a traumas, inflamações, uso de alguns medicamentos ou relacionado a doenças autoimunes. Há ainda o glaucoma de ângulo fechado, que causa dor intensa e necessita de atendimento emergencial.Outra forma é o glaucoma congênito, ou seja, causado por mutação genética, que é raro. “ O uso crônico de corticóides deve ser avaliado, pois podem causar aumento da pressão intraocular. Há ainda psicotrópicos que podem induzir o glaucoma de ângulo fechado. Por isso é sempre importante avaliar com o médico se o paciente possui predisposição para evitar a doença”.

    Relação com doenças crônicas
    O glaucoma neovascular é uma das formas mais graves da doença e possui relação com o diabetes e a hipertensão arterial. “ É um glaucoma de difícil controle e que tem alto risco de cegueira. É causado por alterações da oxigenação nos olhos, que causam os chamados ‘neovasos’”.
    O tratamento do glaucoma pode envolver desde o uso de medicamentos até procedimentos cirúrgicos em casos mais graves. “Podem ser utilizados colírios que vão atuar no processo que causa a doença e que só devem ser utilizados mediante avaliação médica. Hoje há aplicações a laser que podem prevenir a cegueira. De qualquer forma, o sucesso do tratamento é diretamente associado ao diagnóstico precoce e a correta utilização dos medicamentos pelo paciente. Por isso é importante fazer esse acompanhamento, especialmente se a pessoa possui casos da doença na família”, finaliza. 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus