• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    25/04/2019 08h58 - Atualizado em 25/04/2019

    As HQs fundamentais para conhecer a saga de Thanos

    Um dos filmes mais aguardados de 2019, “Vingadores: Ultimato” deve encerrar o arco narrativo de Thanos, que serviu como um gigantesco guarda-chuva para todos os filmes lançados pelo Marvel Studios, desde o primeiro Homem de Ferro, em 2008. O vilão, também chamado de Titã Louco, não era tão conhecido do grande público até sua aparição na cena pós-créditos de Vingadores (2012), mas se tornou uma figura central para o universo compartilhado do estúdio. Sua história já foi bastante explorada nos quadrinhos, fonte de inspiração para o cinema, então é lá que se pode conhecer melhor a jornada de Thanos antes de acompanhar seu desfecho nas telonas.
    Jim Stalin criou Thanos na edição 55 de Homem de Ferro, publicada em 1973, como um personagem secundário, mas já com uma história complexa e mal-resolvida com Drax, que viria a fazer parte dos Guardiões da Galáxia. Filho do governante de Titã, lua de Saturno, Thanos falhou ao tentar tomar o poder do pai no satélite, foi expulso e reuniu um exército para buscar vingança. Drax foi contratado para matar o vilão, mas é derrotado e Thanos sobe ao poder em Titã. A maior parte das primeiras histórias com Thanos está espalhada por edições do antigo Capitão Marvel na década de 1970, que foram reunidas no Brasil nos dois volumes do álbum A Vida e Morte do Capitão Marvel.
    Uma das principais diferenças entre o personagem dos quadrinhos e sua contraparte cinematográfica é a motivação por trás de suas ações. Nas HQs, Thanos é apaixonado pela personificação da Morte e sua carnificina é uma forma de tentar conquistá-la; já nos filmes, o Titã Louco age por uma espécie de filosofia neomalthusiana: acaba com metade da vida do universo para preservar os recursos finitos, pois viu sua terra-natal agonizar com a superpopulação.
    A principal fonte utilizada pelos diretores Anthony e Joe Russo em suas adaptações, porém, é a saga do Desafio Infinito, na qual Thanos reúne as Joias do Infinito e aniquila uma porção considerável do universo Marvel. Assim como Guerra Infinita e Cruzada Infinita, menos influentes nos filmes, a série foi republicada em capa dura no Brasil em 2018 pela Panini. Ainda que alguns dos principais personagens, como o Surfista Prateado e Adam Warlock, não tenham aparecido nos filmes, a essência da trama está concentrada ali.
    Uma história mais recente, A Ascensão de Thanos, publicada originalmente em 2013 e reunida em uma edição de capa dura no Brasil, também é leitura obrigatória para quem quer aproveitar os filmes com propriedade. A HQ reconta a origem do vilão com tons mais dramáticos e nuances psicológicas que, se não foram plenamente adaptadas pelos irmãos Russo, certamente os inspiraram para o conflito do Titã no cinema. (André Cáceres) 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus