• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    03/01/2019 08h31 - Atualizado em 03/01/2019

    Chegada do verão aumenta alerta de dengue

    PASSOS - Com a chegada do verão e a volta da época de chuvas, o risco de contágio da dengue retorna a Passos. A dengue é uma doença viral transmitida principalmente pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. Quando infectada, a vítima pode sentir uma série de sintomas, como febre, dores de cabeça, tonturas e cansaço.
     A Prefeitura de Passos, por meio da Secretaria de Saúde, vem realizando inúmeros mutirões de combate ao mosquito Aedes aegypti, de forma frequente, por todos os cantos da cidade.
     As ações estão sendo realizadas com a parceria da Secretaria de Obras, Habitação e Serviços Urbanos e da Secretaria de Meio Ambiente, Agropecuária e Abastecimento, que cedem suas equipes, maquinários e caminhões para o combate ao mosquito. Também estão sendo feitas campanhas no site e redes sociais da Prefeitura e campanhas nas rádios, afim de alertar a população dos riscos que o mosquito da dengue traz.
    Além disso, as Equipes de Mobilização Urbana percorrem toda a cidade com a metodologia da educação continuada com a população, servindo para alertar sobre os procedimentos que os munícipes precisam tomar.
    Os bairros que já receberam mutirões, até agora, foram: Cohab II, Penha II, Coração Eucarístico, Jardim Califórnia, Jardim dos Ypês, Jardim São Sebastião, Washington de Noronha, Santa Maria Goretti, Canjeranus, Carmelo, Bela Vista II, Novo Mundo III, Jardim Vila Rica, Parque Casarão, Jardim Muarama, Belo Horizonte, Exposição, Jardim Centenário, Umuarama II, Canadá II, Jardim Santa Luzia, Vila Romana e Recanto da Harmonia.
    Os criadouros onde mais foram encontradas larvas do mosquito transmissor eram depósitos de fácil controle como: lixo (recipientes plásticos, garrafas, latas), sucatas em pátios, ferro-velhos, recicladores e entulho, seguidos por vasos ou frascos com água, pratos, pingadeiras, recipientes de gelo, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, material de construção e objetos religiosos.
    A população deve estar alerta ainda mais nesse período de altas temperaturas e de fortes pancadas de chuva que estão acontecendo em toda a região. Esse excesso de água é grande influenciador para novos criadouros do mosquito.
    O sistema de combate ao Aedes aegypti é unificado. Quando uma notificação é conhecida pelos profissionais, a pessoa é direcionada para alguma unidade de saúde, onde é realizado exame e preenchida uma fixa especial pelos médicos. Em seguida, esse documento é encaminhado para o Departamento de Epidemiologia e, por fim, as equipes da Zoonoses realizam uma abordagem a região do infectado.
    A administração municipal alerta que é de extrema importância a participação efetiva de toda a população no combate ao mosquito, realizando uma inspeção nos locais que possam acumular água, seguindo orientações como: colocar uma colher de água sanitária nos ralos internos e externos. Retirar a água da bandeja externa de geladeira e ar-condicionado.
    Outras orientação são para fechar as tampas dos vasos sanitários ou vedar totalmente se o vaso não estiver sendo usado, de forma que impossibilite a entrada do mosquito da dengue para colocar seus ovos. Manter a piscina com tratamento adequado, seguindo orientações de especialistas. Retirar ou virar de boca para baixo os pratinhos dos vasos de plantas.   

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus