• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    29/11/2018 08h23 - Atualizado em 29/11/2018

    Passenses estão revoltados com praças públicas da cidade

    Fabio Henri
    Moradora das proximi- dades da praça Monsenhor Messias Bragança, no bair- ro Centro, na cidade de Passos, informou que o espaço público está sujo. Ressaltou também que não consegue dormir devido ao alto som e barulho que os jovens fazem dentro do coreto. “O que adiantou ativar a fonte? Porque a praça está toda descuida- da. Será que a Prefeitura não vê isso? O local está cheio de andarilhos. Eles usam drogas e chegam até a cozinhar. Não tem como levar os nossos filhos, netos à área, pois, ao estacionar, já aparece um para pedir dinheiro. Além disso, tem o barulho que os jovens fazem na parte da noite. Espero que polícia possa nos ajudar. Não tem como dormir, porque eles ficam até tarde no local, colocam músicas altas, ninguém dorme mais nessa rua”,
    afirmou. Moradores recla- mam também do descuido da praça Ezequias Marques da Silva, no bairro Centro. De acordo com um assinan- te da Folha, quase todo dia, pessoas depositam lixo e entulho na área. E, quando as sujeiras são recolhidas, o espaço público fica cheio de resíduos. “Raramente eu vejo um funcionário da Prefeitura fazer o serviço de limpeza na área. Essa praça está jogada, assim como as outras. Faz muito tempo que não vejo esse local limpo, adequado para as pessoas. Embora ela seja pequena, não significa que ela tenha de ser suja. Pessoas colo- cam entulho o tempo todo. Acredito que eles fazem isso porque, quando olham para a localidade, veem tudo, menos uma praça, de tão descuidada que está”, disse.
    Resposta:
    A Prefeitura de Passos
    informou que a limpeza das praças acontece de forma frequente pelas equipes do Departamento Municipal de Limpeza Urbana. A respeito dos resíduos, lem- bramos que os problemas gerados pelo descarte ina- dequado de lixo são muitos e, geralmente, visíveis. Na maioria dos casos, eles se configuram como agressões ambientais e até como uma questão sanitária que colo- ca em risco a saúde pública. O fato mais surpreendente é que, justamente quem mais sofre e reclama com a sujeira, também é respon- sável por provocá-la. A administração municipal ressaltou também que man- ter a cidade limpa é uma tarefa que demanda um trabalho conjunto entre a Prefeitura, os moradores, as empresas e os turistas que passam pela local. Em geral, o lixo doméstico, industrial e hospitalar é
    coletado em dias específi- cos, e a agenda desse tipo de serviço é de conheci- mento público. Portanto, o lixo só deve ir para fora da residência ou comércio no dia da coleta, de modo a evitar o acúmulo de lixo nas ruas e que animais sem dono rasguem os sacos, espalhando os detritos nas vias públicas. Com isso, lembramos que o caminhão de coleta passa no bairro em questão, diariamente, a par- tir das 18h. Em resposta, a assessoria de comunicação da Polícia Militar alegou que vai adotar providências com a realização de ações e operações no local, a fim de, em caso de flagrante delito, adotar as providências em consonância com a legisla- ção vigente. Em relação à perturbação, o reclamante poderá, sempre que se sen- tir perturbado, ligar no 190 e acionar a Polícia Militar no ato da infração penal.
     
    na Amazônia cresce
    O governo do presiden- te Michel Temer encerra seu ciclo com um aumento expressivo nos índices de desmatamento da Amazô- nia, registrando o pior vo- lume de devastação na re- gião nos últimos dez anos. Dados oficiais do governo apontam uma expansão de 13,7% no desmate da região
    Os Estados que apre- sentaram os valores mais elevados de desmatamento foram Pará (35,9% do total), Mato Grosso (22,1%), Ron- dônia (16,7%) e Amazonas (13,2). O governo procura relevar o resultado ruim, ao observar que o desmata- mento de 2018 corresponde a uma redução de 72% em relação à área registrada
    O Disque Seção Livre é um serviço que recebe reclamações dos leitores sobre problemas urbanos da cidade e região, que são encaminhados para os setores publicos responsáveis para posterior publicação. Funciona de segunda a sexta-feira, das 14h00 às 18h00. Reclamações podem ser feitas pelo telefone (0**35) 3529.2750 ou pelo fax (0**35)3529.2764, e e-mail secaolivre@folhadamanha.com.br ou por cartas encaminhadas à redação ou nas sucursais da Folha na região (os endereços estão na página 2).

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2018 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus