• Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    ÁREA DO
    ASSINANTE
    ESQUECEU SUA SENHA?
    Você receberá em seu e-mai uma nova senha para login.
    

    Assine 35 3529-2750

    Fale Conosco contato@clicfolha.com.br

    WhatsApp 35 9 9956-5000

    
    03/10/2018 08h08 - Atualizado em 03/10/2018

    Alterosa Alerta: polêmico, curioso e lucrativo

    TV do Sul e Sudoeste de Minas, afiliada do SBT, traz polêmicas que chegam ao departamento de jornalismo, comandado por Guilherme Garcia. As pautas vão desde denúncias a operações policiais exclusivas

    A hora do almoço na TV Alterosa do Sul e Sudoeste de Minas, afiliada do SBT, é cheia de surpresas. A receita é a ousadia e a criatividade aliadas a um conteúdo exclusivo. O resultado desses ingredientes é um prato rico em repercussão regional, audiência e faturamento. No menu do controle remoto, o produto tem um nome: Alterosa Alerta. Aliás, a retira do “em” entre os “As” foi mais uma estratégia para dar unidade ao programa de jornalismo, que já é transmitido para as 853 cidades de Minas Gerais. O Sul do estado foi a primeira região a colocar o Alerta dos mineiros no ar – a estreia foi em agosto de 2011. De lá pra cá, fica evidente que a direção da emissora preza pela inovação. Foi o primeiro programa a usar o WhatsApp na televisão no Brasil. O que possibilitou a geração de conteúdo direto da comunidade e a chegada de informações exclusivas. No começo, o canal de comunicação era por meio de “SMS”. Além disso, faz lives usando o Facebook. Um alcance mensal de 2,5 milhões de pessoas. O sinal regional da emissora atinge cerca de 140 cidades e um total de 2,7 milhões de habitantes.
    A pitada picante desse tempero são as polêmicas que chegam no departamento de jornalismo, comandado pelo Guilherme Garcia, que foi o responsável por colocar em prática o projeto criado pelo diretor Gleizer Naves. As pautas vão desde denúncias a operações policiais exclusivas, passando por histórias de fantasmas regionais e o mundo pet. A credibilidade vem de uma equipe experiente e que conta até mesmo com um delegado dentro do estúdio quando é preciso.
    Quem aproveita esse cardápio recheado é o departamento comercial. Segundo o gerente da emissora, Léo Andrade, os anunciantes fazem fila. O limite, por edição do Alterosa Alerta, são quatro merchandising, além de dois breaks com no máximo 3 minutos. Até comercial ao vivo o programa oferece aos clientes de onde eles estiverem.
    Nesse mês, o Alterosa Alerta, recebeu um novo cenário e conta com uma revelação na apresentação: o repórter Kadu Lopes, que ganhou a vaga para substituir Ademir Santos – que é candidato a deputado federal justamente pela popularidade conseguida com a audiência do programa.
    Mas é bom deixar claro que o Alerta é um pouco indigesto para políticos e para a bandidagem da região. Até porque a frase que marca o noticiário é “jornalismo regional, sem meias palavras” - e sem medo de cara feia! 

    Mais sobre a editoria

    Guia da Cidade
    INCLUA SEU ESTABELECIMENTO

    Assine (35) 3529-2750

    Fale Conosco contato@folhadamanha.com.br

    WhatsApp (35) 9 8829-8351

    © 1984 - 2019 Folha da Manhã. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Mediaplus