Santa Casa de Passos promove mês de apoio ao aleitamento materno

12/08/2019

A Santa Casa de Misericórdia de Passos comemora neste mês o Agosto Dourado, dedicando intensas ações para promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno.

A realização de eventos começou na semana passada e permanece até o fim do mês, com concurso de frases para alunos de escolas municipais, palestras e visitas da equipe de Enfermagem às unidades escolares.

Este é o segundo ano que a instituição celebra a data, embora trabalhe com o aleitamento há 20 anos.

O Programa Materno-Infantil (Promai) da Santa Casa é responsável por executar o concurso de frases, “que nesta edição deve alcançar mais de 1.500 crianças”, disse a coordenadora de Enfermagem da Maternidade e do Banco de Leite, Alessandra Aparecida Gomes Sarno.

Funciona assim: a equipe de Enfermagem e do Banco de Leite visita as escolas, conscientiza sobre o tema, tira dúvidas e propõe o concurso. “E depois elegemos as melhores frases de alunos sobre o tema.

Vamos comemorar, no dia 28 de agosto, com teatro, premiações e saquinhos surpresas.

É muito bonito ver o envolvimento dos pequenos, nossa equipe já visitou a Escola Municipal Doutor Manoel Patti, a Mumbuca, a Professor Ananias Emerenciano e, semana que vem, se prepara para visitar a Professora Amelia Jabace”, contou Alessandra.

O envolvimento dos alunos tem sido surpreendente, pois, “muitos dos termos e assuntos eles demonstraram pré-conhecimento, como o leite empedrado e a possível dor da amamentação que as mães podem sentir. Eles estão muito avançados e inseri-los nesse processo cultural educacional permite que eles transmitam o que foi aprendido para dentro de casa”, observou.

A coordenadora da Enfermagem informou que a Santa Casa é referência na região em Banco de Leite Humano (BLH), “pois, em cidades de até seis horas de viagem, somos a única que disponibiliza o serviço. Mais perto de nós, só os municípios de Varginha e Franca possuem unidade”, calculou. Na Maternidade, o BLH é responsável por distribuir leite em situações, que, por algum motivo, o recém-nascido não pode receber o alimento de sua própria mãe.

O Banco de Leite já funciona há três anos na Santa Casa. “Estamos de portas abertas de segunda a sexta-feira, no horário comercial, no 5º andar do prédio da Maternidade. Precisamos do apoio da comunidade na rede de saúde primária, pois, embora nós orientemos 300 mulheres por mês, somente 26 são doadoras. Isso é pouco, não representa nem 10%”, lamentou a coordenadora.

Embora a amamentação seja um processo individual da mulher, Alessandra acredita que a família pode ser mais presente nesse momento.

“É importante que os membros da casa apoiem o aleitamento no que for preciso para que a mãe possa amamentar tranquila.

Culturalmente, esse processo é algo natural e sem grandes dilemas, mas, por vezes, pode ser doloroso.

E temos que incentivar as mamães a não perderem a vontade de alimentar suas crianças com o alimento de ouro, como denomina a Organização Mundial da Saúde (OMS), o alimento perfeito para a saúde dos bebês”, acrescentou. 

Alessandra também fez um apelo aos funcionários do Programa Saúde da Família (PSF) e das Unidades Básicas de Saúde (UBS), que “atuam na rotina dos pacientes e podem sensibilizar a comunidade sobre nosso trabalho.

Principalmente em bebês prematuros, o leite materno diminui a taxa de mortalidade e infecções”, destacou.

Eventos
A Santa Casa realiza, no dia 22 de agosto, um Workshop restrito a funcionários com o tema “Aleitamento Materno na Prematuridade”, com a palestra do doutor Ricardo Nunes Moreira da Silva, referência na área. 

No dia 23, a instituição abre as portas para além do público interno, estudantes e a comunidade que desejem participar do 2º Wiki Meeting Aleitamento Materno, a ser realizado no Auditório do Colégio Imaculada Conceição (CIC), das 7h30 às 13h.

O evento vai trazer à população cinco palestras: a primeira se inicia às 8h10, com Alessandra Sarno, que vai abordar o tema anual da World Alliance for Breastfeeding Action (Waba): Amamentação com Enfoque de Gênero; às 8h30, o doutor Ricardo vai discursar sobre “Leite Materno para o Bebê Prematuro: muito mais que um alimento”; e, às 9h30, a fonoaudióloga e membro do Comitê Estadual de Aleitamento Materno, Eliane Aparecida Fonseca Ferreira, vai discutir sobre “Bicos Artificiais: vilões ou mocinhos”. Depois das primeiras três palestras, acontece um intervalo para o coffee break.

No segundo período da manhã, a partir das 11h, o doutor Ricardo retorna, desta vez, com a explicação sobre como ajudar o bebê prematuro a sair da UTI neonatal em aleitamento materno exclusivo e com bom ganho de peso. 

Para informações sobre inscrições e formas de pagamento, os telefones (35) 3529-1435 e (35) 3529-1474 e o e-mail eventosunep@scmp.org.br para contato.