Oficinas do FNTP terminam hoje

os debates serão promovidos por ribamar vieira, edel holz e cadú fávero

26/07/2019
Especial para a Folha
Nathália Araújo

Terminam hoje as três oficinas oferecidas pelo 3º Festival Nacional de Teatro de Passos, o FNTP, sendo que todas as vagas disponibilizadas foram preenchidas cerca de 15 dias antes do início do evento. Os minicursos práticos e com debates são “Oficina Jogo Dramático e Cena”, ministrado por Ribamar Vieira; “Oficina Teatral: Resumindo Shakespeare”, apresentado por Edel Holz e “Oficina Indivíduo e Comunicação”, com Cadú Fávero.
Seguindo com os espetáculos da mostra competitiva, quatro peças serão apresentadas ao longo de todo o dia. O palco do Teatro Rotary recebe o Grupo Tupam com “O Homem que Não Sabia Sorrir”, às 13h; contando histórias de mineiros viajantes que levam em suas malas as suas próprias inquietudes e um pedacinho da história de um homem chamado Jeremias.
Memórias, contos, tradições, músicas, sentimentos e expressões mineiras revelam, na fala mansa dos personagens, um pouco da cultura conservadora e de imposição que ainda persiste em nossos dias. O texto, inspirado em um conto de Rubens Alves, faz uma crítica descontraída e alegre à felicidade vendida por falsos pesquisadores que revelam o segredo para ser feliz por meio de livros, palestras e fórmulas.
Na Estação Cultura, o Núcleo O Ator Maestro entra em cena ás 16h, com o espetáculo “Quem Matou Edvard Munch”, indicado para maiores de 14 anos. Na história, o famoso pintor está preso dentro de sua obra mais famosa, O Grito. Sem se lembrar de como chegou até aquele lugar, procura pelas memórias necessárias, em suas telas, para entender quem o está fazendo de refém. Por meio das leituras que a plateia faz dos quadros projetados, o protagonista consegue refazer o seu caminho da infância à fase adulta na busca por uma saída.
Durante a noite, na sessão das 20h, a peça “Pauliceia Desvairada” também será encenada no Teatro Rotary pelo Teatro Didático da Unesp e Teatro de Brancaleone. Trata-se de uma apresentação de teatro visual inspirado na obra poética de Mário de Andrade. O que está em cena não é a ilustração visual de seus poemas, mas sim um diálogo ulterior com o conteúdo da sua produção poética, é uma outra maneira de estabelecer uma relaçãocom a poesia. Ou seja, é por meio da materialização visual de significados que estão além das palavras; é possível inferir uma conotação simbólica na encenação, já que as imagens criadas nos remetem à uma interpretação intuitiva e de múltiplos significados. O espetáculo tem classificação indicativa para maiores de 12 anos.
O encerramento da programação de sexta-feira ficará por conta do Grupo Coliseum, que se apresenta em casa, com a comédia “Para Inglês Ver”. A sessão terá início às 22h, no Teatro Coliseum e é indicada para maiores de 16 anos. A peça narra a história de um grupo de funcionários de uma empresa multinacional que deve preparar a divulgação, em inglês, de uma nova linha de produtos para o CEO da corporação
Todos os espetáculos e oficinas do FNTP são gratuitos e abertos para toda a população.