O questionamento do Homem-Aranha

Quarto filme de super-heróis lançado neste ano, "Homem-Aranha - Longe de Casa" é uma love story teen que questiona o falso e o verdadeiro

11/07/2019
Especial para a Folha
Neusa Barbosa

Depois de todo aquele papo sério e das despedidas de Vingadores: Ultimato, o novo filme do Homem-Aranha (Tom Holland) prepara a sucessão no trono dos super-herois. Homem-Aranha - Longe de Casa é isso mas também não deixa de ser uma grande aventura em torno de outras questões adolescentes, daquelas de que Peter Parker sofre como qualquer garoto, apesar dos seus poderes: ou seja, declarar-se para sua crush, a descolada MJ (Zendaya). Por isso, apesar de começar com uma homenagem aos herois que partiram em Vingadores: Ultimato, o enredo aposta firme também no romance e investe bastante no humor.
 Peter Parker e seus amigos, como Ned (Jacob Batalon), Betty Angourier Rice) e Flash (Tony Revolori), além disso, vão partir de férias numa viagem à Europa - onde Peter planejou finalmente confessar seu amor a MJ, aproveitando a passagem por Paris. O problema é a dupla natureza do garoto: além de humano, ele é um super-heroi e suas habilidades vão ser necessárias num mundo que deixou de contar com outras super-lideranças.
 Assim, Nick Fury (Samuel L. Jackson) vai ser o desmancha-prazeres da vez, chamando Peter/Homem-Aranha às suas responsabilidades, o que compromete sua agenda de viagem e os planos românticos, A situação é urgente, pois ameaças já começaram a atacar, como um misterioso monstro que surge do fundo das águas dos canais de Veneza, uma das paradas da excursão da escola de Peter.
 Peter não está sozinho no combate à criatura, já que apareceu por lá Quentin Beck (Jake Gyllenhaal), um heroi até aqui desconhecido, sobrevivente de guerras interplanetárias que usa seus escudos de luz para combater os novos inimigos da Terra. Quentin, aliás, funciona sob medida para atender a outra necessidade de Peter: ser uma espécie de irmão mais velho e conselheiro, contrapondo com uma aparente sensatez as investidas mais agressivas de Nick Fury, convocando o garoto para assumir seu dever e corresponder à confiança nele depositada.
Como todo adolescente, Peter vai hesitar, fazer besteiras (e muito grandes) e lutar para ter uma vida pessoal. No desenvolvimento destas tarefas, o roteiro, assinado por Steve Ditko, Stan Lee, Chris McKenna e Erik Sommers, lhe dá muito que fazer, reforçando o lado humano deste herói-menino que precisa crescer, sem esquecer de inúmeras cenas de ação em que seus voos e teias são fundamentais.
Algumas pitadas de comédia romântica são adicionadas pela participação de tia May (Marisa Tomei) e Happy (Jon Favreau), garantindo à história a dose exata de participação de adultos protetores. Homem-Aranha - Longe de Casa dá uma bela oportunidade a Tom Holland de brilhar, tendo ao lado a melhor namorada que este heroi já teve na tela, a ótima Zendaya. E, sem dar spoiler, termina de um jeito que promete muitas emoções ao próximo capítulo da saga aracnídea.
 

HOMEM-ARANHA: LONGE DE CASA (Spider-Man - Far from home) EUA, 2019. Gênero: Aventura, Ação. Direção: Jon Watts. Elenco: Tom Holland, Jake Gyllenhaal, Zendaya, Samuel L. Jackson, Marisa Tomei, Jon Favreau. Cine Roxy, em Passos, 18h30 e 21h00 (2D Dub). Cine A, em São Sebastião do Paraíso, 19h00 e 21h30 (3D Dub).