Quem disse que aves não podem ser de estimação?

14/03/2019

Se você quer ter um bicho de estimação, já pensou em uma ave? Existem aquelas que precisam da licença do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), como papagaios, araras e outras espécies de nossa fauna, que precisam de criadouros legalizados. Mas, se você quer uma mais fácil, sem ter que mexer com documentação, pode optar por periquitos, canários ou calopsitas. E não pense que aves não precisam de um cuidado e que elas não se apegam como um cachorro.

Segundo apontado pelo médico veterinário Edson Figueiredo Costa, o pássaro deve viver em lugar e gaiola limpos e arejados, sem presença de mofo, evitando o acúmulo de restos de alimentos. Disse também que, para as espécies que comem frutas, é importante fornecer esse alimento sempre fresco e procurar variar as sementes.
Apaixonado por aves desde criança, Cleuber Barbosa de Oliveira cuida, em média, de 50 aves das espécies curió e bicudo. Ele contou que os animais são muito inteligentes e interagem muito com o ser humano. “A alimentação deles é, principalmente, com sementes. Podem se alimentar também de couve e pepino. A refeição é trocada a cada dois dias e a água é trocada diariamente, além de banhos na banheira. Os pássaros têm uma rotina. Um período do ano é a troca de penas, e eles não se reproduzem ou cantam nessa época. A outra é a época de reprodução, quando eles ficam fogosos para o acasalamento e cantam mais. No período reprodutivo, alguns são treinados para competições”, informou.
Em relação à afeição, as aves têm de sobra! Quando elas gostam, elas demonstram. É o que afirmou Simone Paula Ribeiro, criadora da calopsita Pitico. Segundo Simone, a ave vive com ela desde filhote. Ficava solta em sua loja e era o “astro” do local. Mas, um certo dia, uma pessoa encantou-se por ela e pediu para Simone a vender. Com muita insistência, Pitico foi vendida, mas o que ninguém esperava é que ela fosse ficar doente e deprimida. Com isso, a nova dona pediu que Simone ficasse com ela novamente. “Eu a quis de volta. Ela tem as pessoas que ela ama, tem umas quatro que chegam aqui, ela as identifica e começa a cantar. Ela adota uma pessoa da casa, da minha foi minha mãe, e fica andando atrás dela, igual a um cachorro. Só temos amor por ela, algo inexplicável. Amamos da mesma forma que amamos os nossos quatro cachorros”, disse Simone.
Existem aves que possuem talentos, principalmente no canto. Tanto que existem até torneios de canto. Essas competições são divididas por espécie e por modalidades. A ave compete apenas com indivíduos da mesma espécie, e as principais modalidades são fibra e canto livre. Conforme explicado pelo participante Henrique Vilela Teixeira, o município de Passos conta com o apoio da Associação Ornitológica de Passos (AOP), que dá todo o suporte e a orientação para quem é criador de aves ou deseja se tornar.
“As aves que participam de torneios ou exposições exigem cuidados específicos, como alimentação equilibrada, que é feita com rações extrusadas e farinhadas, suplementações vitamínicas e minerais, visitas frequentes ao veterinário e exames de rotina, que são feitos em laboratórios especializados em aves”, explicou Teixeira.
O criador Cleuber informou que muitas de suas aves de agora e do passado ganharam importantes competições. “Meu maior feito foi na etapa do campeonato brasileiro, realizada em Ribeirão Preto, com 430 bicudos. Um estreante meu ficou em 17º lugar nesse campeonato. É indescritível, é como se nós ganhássemos uma maratona”, finalizou.
Por fim, Teixeira disse que as aves que exigem licença do Ibama são nascidas já em ambiente doméstico e recebem, até o quinto dia de vida, um anel ou anilha de aço inox, que é único e inviolável, e funciona como se fosse o CPF daquela ave. Todo o controle é feito por meio de um sistema que é único, em nível nacional e gerenciado pelo Ibama. Apenas aves silvestres nascidas em ambiente doméstico e cujos criadores estejam regulares junto ao Ibama podem participar de torneios ou exposições. 

Confira esta e outras matérias na nova edição do GR