Moda mineira sempre renovada

O trabalho autoral de Virgílio Andrade foi batizado de ?street festa?, uma releitura informal e jovem, que permite que as roupas transitem entre os salões de baile e a cultura de rua

28/01/2019
Especial para a Folha
Wagner Penna

\"Fotos:
Fotos: Breno Mayer \\ Modelo: Louyse

Um dos pontos cruciais para que a moda mineira esteja, sempre, com propostas bacanas e atualizadas, é a valorização dos novos estilistas.

 Seja no vestuário, quanto nos sapatos & acessórios a busca desses valores e a abertura de espaços para mostrarem seus trabalhos, garantem um caminho para longo e durável para que possam trilhar.
  Na ultima Minas Trend, um dos nomes mais citados nesse quesito foi o Virgilio Andrade. Sua coleção com materiais refinados e delicados (como rendas e organza), destacou deu talento para trabalhar esses tecidos com uma visão moderna, dinâmica e inovadora.
 Seu trabalho autoral foi batizado de “street festa”, uma releitura informal e jovem, que permite que as roupas transitem naturalmente entre os salões de baile e a rua. Sua idéia é fugir do óbvio, subverter materiais e criar essa nova pegada de moda festa focada na modelagem e na mistura de texturas.
 Ele acaba de fotografar essa coleção ( a que deu o nome de ‘Ink
Garden’) e que já está disponível através do seu site (www.virgilioandrade.com) e nas outras mídias sociais. Outra novidade é que tudo é feito sob medida, uma forma de evitar desperdício. Traduzindo: uma moda criativa, consciente e sustentável.

VAIVÉM
A semana da alta-costura em Paris acabou bem, com os tais ‘coletes amarelos’ dando uma trégua. Mas nas passarelas a coisa andou feia, com alguns estilistas exagerando no humor e fugindo do espírito luxe da ‘haute-couture’. Novidade mesmo foi o Karl Lagerfeld não aparecer no desfile da Chanel. Dizem que vai se aposentar, porque está doente. Aos 85 anos.

***

E a turma chegou animada das feiras de sapato & bolsa realizadas em São Paulo. O destaque mineiro foi para a turma de Nova Serrana, presente com vários estandes no Anhembi. O Sindinova trabalhou bem e fechou, com sucesso, a terceira edição desse seu salão de negócios exclusivo na Paulicéia.

***

O pessoal da moda brasileira respirou aliviado: a Amazon não vai (por enquanto) vender roupa, sapato e acessórios no mercado brasileiro. A maior plataforma de vendas na internet do mundo, finalmente, chegou por aqui – e mostrando as garras. Seu primeiro centro de distribuição (em São Paulo) tem 47 mil metros quadrados. Ou seja, vários campos de futebol juntos.

PONTO-FINAL

O mês de fevereiro esquenta com o inverno. Como assim? Explico: muita gente do atacado (em Beagá) que estava programando mostrar sua coleção invernal em março, agora adiantou tudo para antes do Carnaval. Vender é preciso!